União Europeia prevê crise ainda pior em 2013

A economia da zona do euro contrairá mais do que o esperado este ano e os déficits orçamentários cairão mais lentamente, informou nesta sexta-feira (3) a Comissão Europeia, ao divulgar previsões para os próximos dois anos.

França, Espanha, Itália e Holanda --quatro das cinco maiores economias da zona do euro-- estarão em recessão durante 2013, mostraram as projeções da Comissão, com apenas a Alemanha, a maior economia da zona do euro, conseguindo exibir crescimento.

"Em vista da prolongada recessão, nós temos que fazer o que for necessário para superar a crise do desemprego na Europa. O mix de políticas da União Europeia (UE) é focada em crescimento sustentável de criação de empregos", disse o comissário de Assuntos Econômicos e Monetários da UE, Olli Rehn.

A Comissão disse que a economia da zona do euro irá contrair 0,4% este ano e crescer 1,2% no ano que vem, revisando para baixo suas projeções de fevereiro de recessão de 0,3% e de crescimento de 1,4%, respectivamente.

A previsão está em linha com o ponto médio do intervalo de -0,9% a -0,1% da projeção para 2013 do Banco Central Europeu em março, e do intervalo de crescimento de zero a 2% previsto para 2014.

O crescimento econômico será mais lento do que o esperado em todos os principais países da zona do euro, com a França entrando em uma recessão de 0,1%, ao invés de crescer 0,1% como havia sido estimado em fevereiro, informou a Comissão.

A única mudança positiva contra as projeções de fevereiro é a Grécia, cuja economia deve contrair 4,2% neste ano, ao invés dos 4,4% anteriormente previstos.

Últimas de Economia

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos