Ao VivoDireto da Bolsa

Cobertura de notícias sobre mercados, ações e investimentos no Brasil e no exterior

Decisão do Reino Unido aumenta incerteza sobre economia global

A primeira indicação de como a decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia (UE) vai afetar a economia global virá das pesquisas empresariais, com os dados mais objetivos em seguida --uma defasagem que aumenta a incerteza em relação ao crescimento. Antes do referendo na quinta-feira (23), a maioria das instituições econômicas globais haviam alertado sobre danos colaterais no caso de o Reino Unido sair da UE, com o FMI (Fundo Monetário Internacional) listando a votação como um importante risco global. Bancos centrais reconhecem os perigos e deixaram claro que vão acionar suas ferramentas para acalmar os mercados. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Dólar sobe 1% no dia e fecha a R$ 3,38, após votação no Reino Unido

dólar comercial quebrou uma sequência de duas quedas e fechou esta sexta-feira (24) em alta de 1,05%, cotado a R$ 3,38 na venda. O mercado foi influenciado pela decisão do Reino Unido de sair da União Europeia (UE). Apesar de subir no dia, a moeda norte-americana termina a semana com baixa de 1,19%. A desvalorização acumulada é de 6,44% no mês e de 14,39% no ano. Na véspera, o dólar havia caído 0,99% e atingido o menor valor em quase 11 meses. A libra esterlina, moeda do Reino Unido, fechou em queda de 7,96%, a R$ 4,609 na venda, enquanto o euro caiu 1,55%, vendido a R$ 3,756. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Bolsa cai 2,82%, após decisão no Reino Unido; Vale tomba 9%

Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou esta sexta-feira (24) com queda de 2,82%, a 50.105,26 pontos. Na véspera, a Bovespa havia subido 2,8%. Apesar de cair no dia, a Bolsa encerra a semana com alta de 1,15%. A valorização acumulada é de 3,37% no mês e de 15,58% no ano. A baixa de hoje foi influenciada pela decisão do Reino Unido de sair da União Europeia (UE), que derrubou as Bolsas pelo mundo. Das 59 ações listadas no Ibovespa, apenas duas fecharam em alta. Pesaram no resultado as ações da mineradora Vale, que despencaram quase 9%, e da Petrobras, que caíram mais de 5%. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Dólar sobe 1%, a R$ 3,38, e Bolsa cai 3,2% após decisão no Reino Unido

O dólar comercial operava em alta e a Bovespa caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 16h10, a moeda norte-americana avançava 1%, a R$ 3,378 na venda, e o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, perdia 3,21%, a 49.906,08 pontos. A decisão no Reino Unido causou preocupação nos mercados globais, que apostavam na permanência no bloco. Investidores acreditam que a saída britânica possa trazer impactos negativos para a economia de todo o mundo. Pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado, o premiê britânico, David Cameron anunciou sua renúncia ao cargo. Operadores ressaltavam, no entanto, que a perspectiva de medidas de bancos centrais, tanto no Brasil quanto no exterior, tenderiam a acalmar os mercados. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Libra opera em queda de 8%, a R$ 4,61; euro cai 1,5%, a R$ 3,76

A libra esterlina, despencava em relação ao real e o euro caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 16h05, a moeda britânica tinha baixa de 8%, a R$ 4,607 na venda. No mesmo horário, o euro operava em queda de 1,52%, a R$ 3,757 na venda. A decisão surpreendente no Reino Unido desencadeou intenso mau humor nos mercados globais. O premiê britânico, David Cameron, que defendia a permanência no bloco, anunciou que deixará o cargo pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Conta de luz continua sem taxa extra em julho, diz governo

A diretoria da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) determinou nesta sexta-feira (24) a manutenção da bandeira tarifária verde para julho. Isso significa que não será cobrada taxa extra na conta de luz. Desde janeiro de 2015, as contas passaram a ter uma cobrança extra, chamada de bandeira vermelha, para compensar gastos mais altos para gerar energia. Nos últimos meses, no entanto, essa bandeira foi mudando de cor. Deixe sua opinião Leia Mais

Bolsas da Europa perdem US$ 1 trilhão em valor de mercado em um dia

As principais Bolsas europeias perderam mais de 960 bilhões de euros (US$ 1,08 trilhão) em valor de mercado na sessão desta sexta-feira (24), afetadas pelas fortes quedas que sofreram após a decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia. Segundo os dados coletados pela agência de notícias Efe, o valor de mercado das Bolsas da Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Portugal, alcançou, no fechamento de hoje, 5,14 trilhões de euros frente aos 6,1 trilhões de euros na véspera. Deixe sua opinião (Com Efe) Leia Mais

Decisão britânica derruba Bolsas pelo mundo; Itália cai 12,5%

O principal índice de ações europeias despencou nesta sexta-feira (24), pressionado pelas fortes perdas de bancos após a decisão dos britânicos de deixar a União Europeia (UE) levar uma onda de choque aos mercados globais. O FTSEurofirst 300 caiu 6,65%, a 1.269 pontos. O índice pan-europeu STOXX 600 recuou 7%, a 321 pontos, na maior queda diária desde 2008. As Bolsas da Europa também fecharam em queda, com os mercados da Itália e da Espanha registrando as maiores perdas de suas histórias.

  • Itália: -12,48%, a 15.723 pontos
  • Espanha: -12,35%, a 7.787 pontos
  • França: -8,04%, a 4.106 pontos
  • Portugal: -6,99%, a 4.362 pontos
  • Alemanha: -6,82%, a 9.557 pontos
  • Inglaterra: -3,15%, a 6.138 pontos
Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Dólar sobe 1%, a R$ 3,38, e Bolsa cai 3,2% após decisão no Reino Unido

O dólar comercial operava em alta e a Bovespa caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 15h20, a moeda norte-americana avançava 1,08%, a R$ 3,38 na venda, e o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, perdia 3,19%, a 49.916,38 pontos. A decisão no Reino Unido causou preocupação nos mercados globais, que apostavam na permanência no bloco. Investidores acreditam que a saída britânica possa trazer impactos negativos para a economia de todo o mundo. Pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado, o premiê britânico, David Cameron anunciou sua renúncia ao cargo. Operadores ressaltavam, no entanto, que a perspectiva de medidas de bancos centrais, tanto no Brasil quanto no exterior, tenderiam a acalmar os mercados. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Libra opera em queda de 7,7%, a R$ 4,62; euro cai 1%, a R$ 3,78

A libra esterlina, despencava em relação ao real e o euro caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 15h15, a moeda britânica tinha baixa de 7,67%, a R$ 4,624 na venda. No mesmo horário, o euro operava em queda de 1,11%, a R$ 3,772 na venda. A decisão surpreendente no Reino Unido desencadeou intenso mau humor nos mercados globais. O premiê britânico, David Cameron, que defendia a permanência no bloco, anunciou que deixará o cargo pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Bolsas dos EUA operam em queda de mais de 2%, após decisão no Reino Unido

As Bolsas dos Estados Unidos operavam em forte queda nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido decidir sair da União Europeia. Investidores preocupados com o cenário para a economia mundial compravam dólar e outros negócios seguros como o ouro e títulos norte-americanos, deixando ações mais arriscadas de lado. Papéis de bancos e de tecnologia estavam entre as maiores perdas. Veja a variação de cada índice norte-americano por volta das 14h50:

  • Dow Jones: - 2,73%
  • Standard & Poor's 500: - 2,92%
  • Nasdaq: -3,61%
Deixe sua opinião (Com Reuters)

Saída da UE deve reduzir número de passageiros aéreos britânicos entre 3 e 5%, diz associação

O número de passageiros aéreos britânicos pode cair de 3% a 5% até 2020, com uma esperada desaceleração da economia e queda da libra esterlina após o Reino Unido decidir deixar a União Europeia, disse nesta sexta-feira (24) a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata). "Em outras palavras, o resultado do referendo de ontem pode reduzir o crescimento do número de passageiros de 1 a 1,5 ponto percentual por ano no curto prazo", disse a Iata em uma análise, acrescentando que o frete aéreo será afetado no longo prazo por um comércio internacional menor, disse. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Brasil tem fundamentos robustos e está preparado para instabilidade externa, diz Fazenda

O país está preparado para atravessar com segurança períodos de instabilidade externa porque conta com fundamentos robustos, afirmou o Ministério da Fazenda nesta sexta-feira (24), ao comentar o resultado do referendo realizado no Reino Unido pela saída da União Europeia (UE). "A situação do Brasil é de solidez e segurança porque os fundamentos são robustos. O país tem expressivo volume de reservas internacionais e o ingresso de investimento direto estrangeiro tem sido suficiente para financiar as transações correntes", afirmou a pasta, por meio de nota. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Dólar sobe 1,5%, a R$ 3,40, e Bolsa cai 3,3% após decisão no Reino Unido

O dólar comercial operava em alta e a Bovespa caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 14h05, a moeda norte-americana avançava 1,54%, a R$ 3,396 na venda, e o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, perdia 3,43%, a 49.789,88 pontos. A decisão no Reino Unido causou preocupação nos mercados globais, que apostavam na permanência no bloco. Investidores acreditam que a saída britânica possa trazer impactos negativos para a economia de todo o mundo. Pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado, o premiê britânico, David Cameron anunciou sua renúncia ao cargo. Operadores ressaltavam, no entanto, que a perspectiva de medidas de bancos centrais, tanto no Brasil quanto no exterior, tenderiam a acalmar os mercados. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Libra opera em queda de 6,8%, a R$ 4,66; euro cai, a R$ 3,78

A libra esterlina, despencava em relação ao real e o euro caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 14h, a moeda britânica tinha baixa de 6,8%, a R$ 4,667 na venda. No mesmo horário, o euro operava em queda de 0,81%, a R$ 3,784 na venda. A decisão surpreendente no Reino Unido desencadeou intenso mau humor nos mercados globais. O premiê britânico, David Cameron, que defendia a permanência no bloco, anunciou que deixará o cargo pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Banco da Inglaterra oferece 310 bi de euros ao sistema financeiro

O Banco da Inglaterra disse nesta sexta-feira (24) que preparou 250 bilhões de libras (310 bilhões de euros, em taxas de câmbio atuais) adicionais para sustentar o sistema financeiro do Reino Unido por conta da decisão de deixar a União Europeia. O presidente do banco, Mark Carney, advertiu que a saída do bloco vai envolver um período de "incerteza e ajuste", mas insistiu que a instituição está "bem preparada" com um plano de contingência. Deixe sua opinião (Com Efe)

UE marca primeira reunião de cúpula sem o Reino Unido para quarta-feira

Os líderes dos 27 países restantes da União Europeia vão realizar a primeira reunião de cúpula na próxima quarta-feira (29) sobre como lidar com a saída do Reino Unido do bloco após a primeiro-ministro britânico deixar o encontro, disse uma autoridade da UE. Cameron deve comparecer ao primeiro dia da reunião de cúpula, na terça-feira, para informar os outros 27 mandatários sobre o resultado do referendo britânico de ontem. Ele, então, voltará para Londres e os líderes seguirão reunidos com a nova formação. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Bolsa da Grécia despenca 13,42%, a terceira maior queda em 30 anos

A Bolsa de Valores da Grécia desabou nesta sexta-feira (24) após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. O principal índice de ações do país, o Athex, fechou em baixa de 13.42%, a 534,78 pontos. Essa foi a terceira maior queda da Bolsa grega nos últimos 30 anos. Em 3 de agosto de 2015, a Bolsa da Grécia terminou o dia com queda de 16,23%, a maior da história, depois de permanecer fechada por cinco semanas durante a política de controle de capitais do governo como forme de minimizar a crise econômica no país. Deixe sua opinião (Com Efe) Leia Mais

Dólar sobe 1,3%, a R$ 3,39, e Bolsa cai 3,2% após decisão no Reino Unido

O dólar comercial operava em alta e a Bovespa caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 13h05, a moeda norte-americana avançava 1,34%, a R$ 3,389 na venda, e o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, perdia 3,24%, a 49.890,01 pontos. A decisão no Reino Unido causou preocupação nos mercados globais, que apostavam na permanência no bloco. Investidores acreditam que a saída britânica possa trazer impactos negativos para a economia de todo o mundo. Pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado, o premiê britânico, David Cameron anunciou sua renúncia ao cargo. Operadores ressaltavam, no entanto, que a perspectiva de medidas de bancos centrais, tanto no Brasil quanto no exterior, tenderiam a acalmar os mercados. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Libra opera em queda de 7,7%, a R$ 4,62; euro cai 1%, a R$ 3,77

A libra esterlina, despencava em relação ao real e o euro caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 13h, a moeda britânica tinha baixa de 7,72%, a R$ 4,622 na venda. No mesmo horário, o euro operava em queda de 1,12%, a R$ 3,772 na venda. A decisão surpreendente no Reino Unido desencadeou intenso mau humor nos mercados globais. O premiê britânico, David Cameron, que defendia a permanência no bloco, anunciou que deixará o cargo pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Petrobras prorroga prazo para recompra de bônus de 2018

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (24) a prorrogação do prazo de recompra dos bônus com vencimento em 2018 e cupom de 8,375% para 23h59 de 8 de julho, seguindo o horário de Nova York. O prazo anterior era ontem, 23 de junho. O pagamento para cada US$ 1.000 de valor de principal foi aumentado de US$ 1.100 para US$ 1.115. Todos os detentores dos bônus, incluindo os que aderiram anteriormente, receberão o novo valor. Deixe sua opinião (Com Valor) Leia Mais

Itamaraty quer mudar regra para fazer acordo sem países do Mercosul

O Ministério das Relações Exteriores discute a possibilidade de revogar uma decisão do Mercosul, para permitir que o Brasil possa negociar acordos bilaterais de livre-comércio de forma independente, sem os outros membros do bloco. A decisão, de 2000, estabelece o compromisso dos membros do Mercosul de negociar de forma conjunta os acordos comerciais que incluem preferências tarifárias com terceiros países. O Brasil, por meio do Mercosul, assinou apenas três acordos bilaterais de livre-comércio ?com Egito, Palestina e Israel, o único que está em vigor. O chanceler José Serra defende que o Brasil "flexibilize" o Mercosul para fechar acordos. "Vamos multiplicar desinibidamente os acordos bilaterais", afirmou. Deixe sua opinião (Com Folha) Leia Mais

Gastos de brasileiros no exterior caem 21,3% em um ano, diz BC

Os brasileiros gastaram US$ 1,113 bilhão em viagens internacionais em maio, uma queda de 21,29% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando os gastos haviam sido de US$ 1,414 bilhão. O resultado é o menor para o mês de maio desde 2009, quando atingiu US$ 779,5 milhões. Em relação a abril (US$ 1,076 bilhão), o valor gasto em maio deste ano teve alta de 3,41%. Os números são do Banco Central (BC) e foram divulgados nesta sexta-feira (24). Deixe sua opinião  Leia Mais

Dólar sobe, a R$ 3,37, e Bolsa cai 3,6% após decisão no Reino Unido

O dólar comercial operava em alta e a Bovespa caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 12h05, a moeda norte-americana avançava 0,7%, a R$ 3,368 na venda, e o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, perdia 3,65%, a 49.678,68 pontos. A decisão no Reino Unido causou preocupação nos mercados globais, que apostavam na permanência no bloco. Investidores acreditam que a saída britânica possa trazer impactos negativos para a economia de todo o mundo. Pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado, o premiê britânico, David Cameron anunciou sua renúncia ao cargo. Operadores ressaltavam, no entanto, que a perspectiva de medidas de bancos centrais, tanto no Brasil quanto no exterior, tenderiam a acalmar os mercados. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Libra opera em queda de 7,5%, perto de R$ 4,63; euro cai 1,8%, a R$ 3,75

A libra esterlina, despencava em relação ao real e o euro caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 12h, a moeda britânica tinha baixa de 7,58%, a R$ 4,629 na venda. No mesmo horário, o euro operava em queda de 1,81%, a R$ 3,746 na venda. A decisão surpreendente no Reino Unido desencadeou intenso mau humor nos mercados globais. O premiê britânico, David Cameron, que defendia a permanência no bloco, anunciou que deixará o cargo pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado. Deixe sua opinião (Com Reuters)

FMI pede transição suave a autoridades da UE e do Reino Unido

A diretora-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional), Christine Lagarde, pediu nesta sexta-feira (24) que as autoridades britânicas e europeias trabalhem para que haja uma transição suave na implementação da decisão dos britânicos de deixar a União Europeia. "Apoiamos fortemente os compromissos do Banco da Inglaterra e do Banco Central Europeu de fornecer liquidez ao sistema bancário e reduzir o excesso de volatilidade financeira. Continuaremos a monitorar os desdobramentos de perto e estamos prontos para dar suporte a nossos membros conforme necessário", disse Lagarde em comunicado. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Ações europeias operam em queda de 5%; Espanha chega a cair 11%

O principal índice de ações europeu caía cerca de 5% nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para deixar a União Europeia. Por volta das 11h20, o índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 perdia 4,98%, a 1.292 pontos. O recuo das ações europeias removeu cerca de 650 bilhões de euros em valor de mercado das ações listadas na Europa. "O maior risco macroeconômico para a Europa neste ano... se cristalizou", informou o Goldman Sachs em nota. "A decisão reduz o cenário de crescimento para o Reino Unido e a Europa em meio à elevada incerteza política e ameaça condições financeiras mais apertadas." Veja a variação de cada Bolsa abaixo por volta das 11h20:

  • Espanha: -11,01%
  • Itália: -10,44%
  • Portugal: -6,69%
  • França: -6,38%
  • Alemanha: -5,65%
  • Inglaterra: -1,91%
Deixe sua opinião (Com Reuters)

Dólar sobe, a R$ 3,36, e Bolsa cai 2,5% após decisão no Reino Unido

O dólar comercial operava em alta e a Bovespa caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 11h05, a moeda norte-americana avançava 0,37%, a R$ 3,357 na venda, e o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, perdia 2,48%, a 50.281,31 pontos. A decisão no Reino Unido desencadeou intenso mau humor nos mercados globais, que apostavam na permanência no bloco. Investidores acreditam que a saída britânica da União Europeia possa trazer impactos negativos para a economia de todo o mundo. Pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado, o premiê britânico, David Cameron, que defendia a permanência no bloco, anunciou sua renúncia ao cargo. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Libra opera em queda de mais de 7,5%, perto de R$ 4,62

A libra esterlina, despencava nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 11h, a moeda britânica caía 7,67%, a R$ 4,624 na venda. A decisão no Reino Unido desencadeou intenso mau humor nos mercados globais. O premiê britânico, David Cameron, que defendia a permanência no bloco, anunciou que deixará o cargo pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Agência Moody's rebaixa nota da Bombardier

A fabricante canadense de aviões Bombardier teve a nota de crédito rebaixada de "B2" para "B3" pela agência de classificação de risco Moody's, que mudou a perspectiva da companhia de negativa para estável. Em nota assinada pela analista Jamie Koutsoukis, a Moody's apontou que o rebaixamento foi feito por causa da decisão da província de Quebec de aportar US$ 1,5 bilhão na unidade Bombardier Transportation em vez de fazer a injeção na Bombardier Inc. Deixe sua opinião (Com Valor) Leia Mais

BC diz que tomará medidas, caso necessário, após referendo britânico

O Banco Central informou nesta sexta-feira (24) que adotará as medidas adequadas, caso necessário, para manter o funcionamento normal dos mercados financeiro e cambial após o Reino Unido ter votado por sair da União Europeia. Em comunicado, o BC explicou que monitora "continuamente os desenvolvimentos nos mercados global e doméstico", e destacou que a economia brasileira tem fundamentos robustos para enfrentar movimentos decorrentes desse processo, como "relevante montante de reservas internacionais, o regime de câmbio flutuante e um sistema financeiro sólido, com baixa exposição internacional". Deixe sua opinião (Com Reuters)

Ações da Vale operam em queda de 7%; Petrobras perde 6%

As ações da mineradora Vale e da Petrobras despencavam nesta sexta-feira (24) e puxavam para baixo o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira. Por volta das 10h25, as ações ordinárias da Vale (VALE3), com direito a voto em assembleia, despencavam 7,35%, a R$ 15,37, e as ações preferenciais (VALE5), que dão prioridade na distribuição de dividendos, se desvalorizavam 6,04%, a R$ 12,59. No mesmo horário, os papéis ordinários da Petrobras (PETR3) caíam 6,31%, a R$ 11,29, e as ações preferenciais (PETR4) perdiam 5,89%, a R$ 9,10. Os papéis das duas empresas eram influenciados por preocupações com a economia global após o Reino Unido votar para sair da União Europeia, além da queda nos preços do minério de ferro e do petróleo. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Dólar sobe 1,3%, a R$ 3,39, e Bolsa cai 3,6% após decisão no Reino Unido

O dólar comercial operava em alta e a Bovespa caía nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 10h10, a moeda norte-americana avançava 1,3%, a R$ 3,388 na venda, e o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, perdia 3,63%, a 49.686,62 pontos. A decisão no Reino Unido desencadeou intenso mau humor nos mercados globais. Investidores acreditam que a saída britânica da União Europeia possa trazer impactos negativos para a economia de todo o mundo. Pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado, o premiê britânico, David Cameron, que defendia a permanência no bloco, anunciou sua renúncia ao cargo. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Libra opera em queda de mais de 6,5%, perto de R$ 4,67

A libra esterlina, despencava mais de 6,5% nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 9h50, a moeda britânica caía 6,74%, a R$ 4,671 na venda. A decisão no Reino Unido desencadeou intenso mau humor nos mercados globais. O premiê britânico, David Cameron, que defendia a permanência no bloco, anunciou que deixará o cargo pouco depois de o resultado do plebiscito ser divulgado. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Temer: Brasil vai avaliar impactos econômicos de saída do Reino Unido

O presidente interino Michel Temer afirmou nesta sexta-feira (24) que o Brasil vai verificar os possíveis impactos econômicos sobre o país da decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia, tomada em um referendo na quinta-feira. Em entrevista por telefone à rádio Estadão, Temer disse que não cabe a ele discutir a decisão política dos britânicos, e afirmou ainda que o governo vai acompanhar os próximos acontecimentos em decorrência da decisão britânica. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Comente as notícias no Direto da Bolsa

O Direto da Bolsa tem espaço para comentários. Deixe sua opinião sobre as principais notícias do dia sobre ações, câmbio e mercado financeiro no Brasil e no mundo. 

Dólar dispara 2,7% na abertura e é vendido perto de R$ 3,44

O dólar comercial disparava 2,7% nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para sair da União Europeia. Por volta das 9h, a moeda norte-americana avançava 2,71%, a R$ 3,435 na venda. A decisão no Reino Unido desencadeou intenso mau humor nos mercados globais. Investidores acreditam que a saída britânica da União Europeia possa trazer impactos negativos para a economia de todo o mundo. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Ações europeias operam em queda de mais de 7%, após decisão no Reino Unido

O principal índice de ações europeu recuava cerca de 7% nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido votar para deixar a União Europeia. Por volta das 8h20, o índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 caía 7,26%, a 1.261 pontos. O recuo das ações europeias removeu cerca de 650 bilhões de euros em valor de mercado das ações listadas na Europa. "O maior risco macroeconômico para a Europa neste ano... se cristalizou", informou o Goldman Sachs em nota. "A decisão reduz o cenário de crescimento para o Reino Unido e a Europa em meio à elevada incerteza política e ameaça condições financeiras mais apertadas." O índice de ações de bancos da zona do euro caía cerca de 15% e caminhava para a maior queda diária na história.Veja a variação de cada Bolsa abaixo por volta das 8h20:

  • França: -8,76%
  • Portugal: -7,64%
  • Alemanha: -7,35
  • Espanha: -1,45%
  • Inglaterra: -4,63
  • Itália: -0,46 
Deixe sua opinião (Com Reuters)

Libra atinge menor valor em relação ao dólar em 31 anos

A libra esterlina perdeu 10%, atingindo o menor valor em relação ao dólar desde 1985 nesta sexta-feira (24), após o Reino Unido ter votado por deixar a União Europeia (UE). Além das maiores variações da libra na memória recente, o euro também caía com força contra o dólar. O franco saltou para o nível mais forte em quase um ano contra o euro, e o iene chegou ao nível mais alto em mais de dois anos. A libra caiu mais de 10% e atingiu US$ 1,323, menor nível desde antes de as principais economias assinar um acordo para enfraquecer o dólar em setembro de 1985, no Acordo de Plaza. Por volta das 7h40, ela se recuperava e era negociada a US$ 1,369, mas ainda com queda de 7,9% no dia. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Bolsa do Japão despenca 7,9%, maior queda em 5 anos, após Reino Unido decidir deixar UE

O índice japonês Nikkei despencou 7,92% nesta sexta-feira (24), a maior queda diária desde março 2011. Os britânicos tomaram nesta quinta (23) a decisão de se separarem da União Europeia, o bloco político e econômico que hoje congrega 28 países e ao qual aderiram em 1973. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Reino Unido vota para deixar a União Europeia

Os britânicos tomaram nesta quinta (23) a decisão histórica de se separarem da União Europeia, o bloco político e econômico que hoje congrega 28 países e ao qual aderiram em 1973. O processo ainda precisa passar pelo Parlamento, mas um veto pelos legisladores é considerado suicídio político. A negociação da ruptura -o Brexit, fusão das palavras "saída" e "britânica" em inglês- deve levar dois anos. Deixe sua opinião (Com Folha de S.Paulo) Leia Mais

Conversor de moedas

Resultado:

Cursos Online
UOL Cursos Online

Câmbio

Dólar comercial - 03/11/2020 17h00
Compra Venda Variação
Dólar com. 5,7600 5,7609 +0,39%
Dólar tur. 5,7200 6,0700 +0,17%
Euro 6,7287 6,7303 +0,67%
Libra 7,4871 7,4888 +0,92%
Pesos arg. 0,0728 0,0729 -0,14%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Bolsas de Valores

Bovespa - 03/11/2020 18h55 - 96.318,76
Variação
Brasil | Bovespa +2,52%
EUA | Nasdaq +2.56%
França | CAC 40 +2.44%
Japão | Nikkei +1.82%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Ações em destaque

Ação Variação Cotação
Veja outras cotações

Commodities

Venda Variação
Petróleo (Brent) US$ 37,530 0,0%
Ouro US$ 1907,550 +0,62%
Prata US$ 24,170 +0,42%
Platina US$ 875,555 +1,02%
Paládio US$ 2302,003 +3,28%

Fonte Thompson Reuters

Inflação

Índice Mês Valor
IPCA jul.18 +0,33%
IPC-Fipe jul.18 +0,23%
IGP-M jul.18 +0,51%
INPC jul.18 +0,25%

Fonte Thompson Reuters

Indicadores

Valor Atualização
Salário Mínimo R$ 954,00 2018
Global 40 +112,32% 17.Mar.2020
TR 0,0% 17.Mar.2020
CDI +1,9% 03.Nov.2020
SELIC +6,5% 01.ago.2018
IPCA +0,33% jul.18

Fonte Thompson Reuters

Últimas notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos