PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

João Branco

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Você prefere estudar ou aprender fazendo?

João Branco

João Branco tem mais 20 anos de experiência em grandes marcas e trabalha desde 2014 no McDonald's, onde é o Diretor de Marketing e lidera o talentoso time que está batendo todos os recordes de vendas da história do Big Mac. João estudou em algumas das melhores universidades do mundo mas aprendeu no "Méqui" o que nenhuma aula teórica foi capaz de ensinar: que o resultado sempre vem quando o consumidor ama muito tudo isso.

Colunista do UOL

28/04/2021 04h00

Uma revolução está prestes a acontecer no Brasil e se chama "quero aprender com quem faz".

Estudar é muito bom. Mas a gente sempre soube que nada ensina tanto quanto a prática. É por isso que ficamos felizes em ver cabelos grisalhos no piloto de avião.

Eu vivo recebendo perguntas sobre cursos legais de Marketing. Quer saber o meu preferido? Ele se chama "aprender fazendo junto com quem faz bem feito". Você lembra como aprendeu a andar? Foi observando, tentando e segurando na mão de quem te ensinava. Também deve ter sido assim que aprendeu a andar de bicicleta. Ou a nadar. E a dirigir. Até mesmo a beijar.

Costumo dizer que a forma mais fácil de resolver um problema é pedindo ajuda para quem é especialista em solucionar esse tipo de situação. E é isso que todos estamos percebendo na prática.

Hoje em dia as buscas que mais se destacam na internet são perguntas do tipo "como fazer algo?". Ninguém mais lê manual de instruções. Quer saber como destravar o celular? Como desentupir a pia? Como tentar fazer seu filho comer brócolis? Como adestrar um papagaio? Com certeza existe um tutorial para isso no YouTube.

Se você abrir o Google agora e escrever a expressão "como", ele vai te sugerir as buscas mais realizadas na sua região. Para mim aparece "como fazer panqueca", "como ficar rico" e "como excluir conta do Instagram". Pelo visto meus vizinhos estão planejando uma vida de milionários anônimos bem alimentados. Mas isso mostra que as pessoas estão buscando ajuda tanto para coisas pequenas do dia a dia, como para desafios maiores e até crises existenciais.

Mas por que digo que uma revolução vai começar? Porque esse nosso hábito de encontrar ajuda na internet está se unindo ao nosso contexto econômico: a gente se lascou na pandemia e agora precisa se virar para sobreviver financeiramente. A situação é urgente, não temos tempo, paciência e nem recursos para investir em um curso teórico de 2 anos de duração que vai demorar para dar retorno. E é bem nessa hora que aparece em nossa timeline uma propaganda oferecendo um curso rápido de 2 horas que ensina a "conquistar a independência financeira em 3 passos".

Os gurus já perceberam essa oportunidade de mudar o seu modelo de negócio. Ao invés de vender livros e palestras caras, perceberam que podem oferecer "pílulas de sabedoria". São dicas, conselhos e cursos disponibilizados por valores mais acessíveis, de forma massiva.

É claro que, como em qualquer área, os picaretas vão aparecer. Cuidado com as ofertas sensacionalistas de "fique milionário ainda hoje" ou "aprenda a perder 20 kg em 1 semana". Mas, excluindo esses absurdos, eu acho tudo isso sensacional. Já pensou quanto valeria ter uma aula de pintura com Michelangelo? Ou uma mentoria de carreira com um profissional bem-sucedido do seu mercado?

Isso não coloca certificados no currículo, mas pode te ajudar a resolver problemas reais imediatamente.

Escreva o que estou dizendo: em breve você vai ter acesso ao conteúdo de muita gente boa. Consultores financeiros, atletas, marqueteiros, advogados, treinadores, engenheiros, publicitários, empreendedores. Nesse exato momento conheço gente de todas essas áreas se preparando para lançar seus treinamentos nas redes. E muitos deles vão fazer algo personalizado, focado em solucionar os seus dilemas específicos.

Uma nova oportunidade surge para nós. Só não vá achar que você vai virar um cozinheiro por falar 1 hora com um "Master Chef". Mas talvez consiga aprender 2 ou 3 receitas legais para começar o seu negócio. E levantar recursos para fazer uma preparação mais completa.

parceria - Felipe Tomazelli - Felipe Tomazelli
Imagem: Felipe Tomazelli

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL