Empresas de Eike têm dia de grandes perdas na Bolsa; OGX cai mais de 6%

Do UOL, em São Paulo

As empresas do bilionário Eike Batista tiveram um dia de grandes perdas na Bovespa nesta terça-feira (5).

A petrolífera OGX perdeu 6,22%, negociada a R$ 3,77, no segundo dia seguido de recuo.

Desde o início do ano, a ação já perdeu 20% de seu valor. No final do mês passado, a empresa furou um poço seco na Bacia de Campos, e, nesta segunda, a OGX anunciou uma produção de petróleo menor que a esperada pelo mercado.

A mineradora MMX perdeu 4,66%, a R$ 3,27. Na véspera, a ação figurou entre as maiores altas do dia, mas a queda de hoje anulou os ganhos de segunda.

Já a LLX, braço de logística do grupo EBX, sofreu um revés no final de janeiro, quando o MPF (Ministério Público Federal) moveu uma ação civil para suspensão das obras do Porto de Açu, por contaminação das águas no entorno. A ação recuou 3,64%, a R$ 2,12.

A OSX, empresa de construção naval do grupo que não integra o Ibovespa, fechou em queda de 7,37%, a R$ 7,92. A OSX também é alvo do processo do MPF, e, além disso, deve receber multa da Secretaria do Ambiente do Rio por conta dos problemas com o Superporto.

A ação da CCX, empresa de carvão do grupo, também fechou em queda, recuando 2,17%, a R$ 3,61. Entre os dias 17 e 22 de janeiro, a ação havia chegado a dobrar de valor, com rumores de que Eike estaria planejando tirar a CCX da Bolsa.

No entanto, notícias sobre a deterioração do mercado de carvão e a revisão dos projetos da empresa na Colômbia desanimaram os investidores, e desde o dia 30 as ações operam em baixa ou estáveis.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos