Conteúdo publicado há 2 meses

Dólar cai e fecha a R$ 4,873 com avanços das commodities; Bolsa sobe

O dólar comercial encerrou a sessão desta quinta-feira (14) em queda de 0,91%, cotado a R$ 4,873.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), encerrou em alta de 1,03%, aos 119.391,55 pontos.

O mercado nesta quinta-feira

A queda da moeda norte-americana frente o real vai na contramão do movimento no mercado externo. Lá fora, o dólar se valorizou frente a outras moedas, após a divulgação de dados econômicos positivos nos EUA.

Números positivos do varejo e do mercado de trabalho norte-americano reforçaram a percepção de que a inflação nos EUA ainda não está controlada. Com isso, o Federal Reserve poderá subir mais sua taxa de juros no futuro, ou mantê-la em níveis elevados por mais tempo.

No Brasil, no entanto, o efeito desses dados foi diluído pelo avanço das commodities. Foi o segundo dia consecutivo de queda firme do dólar ante o real. Dentre as commodities que impactaram a valorização do real frente ao dólar está o petróleo, que subia mais de 2% nesta quinta-feira.

Soja e celulose são outros produtos exportados pelo Brasil em tendência de alta de preços. "O minério ainda não está, mas já está revertendo. Isso ajuda o real", disse José Faria Júnior, diretor da consultoria Wagner Investimentos.

Já o Ibovespa fechou em alta, devido a novas medidas de apoio à economia chinesa. Com isso, ações impactadas pelos preços das commodities são favorecidas, em especial a da mineradora Vale, que saltou mais de 4%. Na outra ponta, os papeis de Casas Bahia desabaram após a oferta de ações do grupo sair abaixo do esperado.

Na contramão, os papéis do Grupo Casas Bahia desabaram. Isso aconteceu após a oferta de ações do grupo varejista sair com um desconto expressivo.

Continua após a publicidade

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial (saiba mais clicando aqui). Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

(Com Reuters)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes