Bolsa sobe, passa de 132 mil pontos e bate recorde; dólar cai a R$ 4,861

O Ibovespa subiu 0,43% e registrou 132.752,93 pontos nesta sexta-feira — o maior patamar da história, batendo o recorde nominal alcançado ontem (de 132.182,01 pontos). Só em dezembro, o principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3) saltou 4,26%.

O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com leve queda de 0,54%, cotado a R$ 4,861. Na variação semanal, o dólar teve queda de 1,11%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial (saiba mais clicando aqui). Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, a referência é o dólar turismo, e o valor é bem mais alto.

O que aconteceu

Inflação dos Estados Unidos caiu em novembro. O índice de preços que mede os gastos do consumidor (PCE, na sigla em inglês) caiu 0,1% no mês passado após ficar inalterado em outubro. O PCE é o preferido do Federal Reserve (Fed, o Banco Central norte-americano).

Nos 12 meses até novembro, o indicador teve alta de 2,6%, após subir 2,9% em outubro. Excluindo os componentes voláteis de alimentos e energia, o PCE aumentou 0,1% em novembro, informou o Departamento do Comércio dos EUA.

Já no Brasil, o Congresso Nacional aprovou o projeto da LOA (Lei Orçamentária Anual) de 2024. A aprovação ocorreu nesta tarde, antes do recesso, após um acordo ter permitido corte menor no montante destinado ao PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Cerca de R$ 53 bilhões serão destinados a emendas parlamentares e R$ 4,9 bilhões para o fundo eleitoral.

O projeto aprovado manteve a meta de resultado primário zero em 2024. O objetivo ainda é visto com ceticismo pelos agentes do mercado, mas sua manutenção na LOA é algo positivo, na visão dos analistas. Com as mesas de operação esvaziadas, a aprovação não fez preço de forma significativa.

(Com AFP e Reuters)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes