PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Empreendedorismo

Com R$ 3.000, dá para contratar famosos como ex-BBBs para promover negócio

Márcia Rodrigues

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/10/2015 06h00

Contratar famosos para promover o negócio pode ajudar uma empresa a se tornar conhecida e vender mais. A Consciência Jeans, uma loja de roupas do Brás, em São Paulo, por exemplo, contratou a cantora Anitta para participar da inauguração de uma unidade. A artista também é a garota-propaganda da coleção de verão. 

O cachê não foi revelado por uma questão de confidencialidade do contrato. Mas, segundo o UOL apurou, a presença de outros nomes conhecidos, como ex-BBBs, ex-panicats, personalidades fitness, dançarinas ou socialites, pode ser contratada a um valor relativamente acessível aos pequenos negócios: de R$ 3.000 a R$ 15 mil. Já figuras de primeiro escalão cobram até R$ 50 mil. 

O empresário Hadi Hamade afirma que o investimento foi pago em uma semana. "Recebemos pedidos de empresários até do Rio de Janeiro por causa dela", declara. Mesmo que as vendas sejam no atacado e não no varejo, o lojista vê resultado na estratégia. "Todos os anos escolhemos um artista para promover a nossa coleção. No caso da Anitta, ela tem tudo a ver com o nosso público." 

Franquia contou com presença de ex-panicat em loja

A franquia Dr. Shape também aposta na imagem de famosos para promover suas lojas. As últimas aparições foram da modelo e ex-panicat Juju Salimeni e do ator José Loreto. Porém, segundo Paulo Fernandes, sócio da rede, o investimento sai do bolso dos parceiros. "Normalmente, são as marcas de suprimentos alimentares que vendemos que oferecem o seu garoto ou garota-propaganda."

De acordo com ele, se a celebridade é do mundo fitness, costuma atrair muitos fãs para a inauguração. "Nós divulgamos a ação nas redes sociais e via e-mail marketing. Normalmente, essas celebridades postam que estarão na loja naquele dia e seus seguidores sempre aparecem em peso."

Ex-BBB cobra R$ 3.000; socialite, R$ 15 mil

Segundo Michel Kneit, sócio do grupo MK Partners e da Agência Atração Ideal, diz que não pode revelar valores, mas afirma que o cachê cobrado pelos artistas varia muito. "Tudo vai depender da exposição que ele tem na TV no momento. Se estiver atuando na novela das 21h da TV Globo, por exemplo, em um bom papel, certamente será mais caro."

Segundo o UOL apurou, o cachê cobrado por ex-BBBs, por exemplo, varia de R$ 3.000 a R$ 15 mil. O custo da presença vip de ex-panicats vai de R$ 5.000 a R$ 13 mil. Personalidades fitness e ex-dançarinas de grupos de axé ou pagode podem cobrar de R$ 4.000 a R$ 8.000. Socialites que caíram na graça do público e atrizes participantes de reality shows chegam a cobrar R$ 15 mil.

Artistas de primeiro escalão, que estrelam em novelas, por exemplo, chegam a cobrar de R$ 30 mil a R$ 50 mil para duas horas de presença. Se o evento for fora da cidade onde mora, é preciso custear ainda passagem aérea, carro executivo, hospedagem, alimentação para o famoso e um acompanhante, além de refeição e produção (maquiagem e cabeleireiro).

Ação deve ser estudada com cautela, diz especialista

Para Paulo Marcelo Tavares Ribeiro, gerente do Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo), o empreendedor deve refletir bastante antes de contratar um artista para ser a atração da inauguração de uma loja. "Ele precisa ter a certeza de que aquele nome tem a ver com o seu público, se ele não é uma personalidade polêmica."

Ele ressalta que ainda há o risco de a marca ser associada a alguma ação ilegal que o famoso possa cometer. "Ele pode acabar sendo preso com a sua roupa, só para citar um exemplo que não é usual, mas pode acontecer."

Ribeiro também afirma que somente contratar a celebridade para comparecer ao lançamento de uma loja não garante mídia espontânea. "Se o empresário fez esse investimento, ele precisa divulgar para atrair os holofotes da mídia, por exemplo, e ganhar publicidade nos veículos de comunicação. Também é preciso investir em mídias sociais, porque sempre atrai seguidores."

O especialista diz, no entanto, que o empresário deve avaliar se o investimento realmente é viável financeiramente e se trará o resultado que ele espera. "Se a empresa faturar R$ 60 mil por mês, por exemplo, um investimento de R$ 2.000 a R$ 5.000 com certeza será pesado. Dependendo, seria mais vantajoso investir em uma promoção, que agradaria muito mais os clientes."

Empreendedorismo