PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Depressão pós-férias afeta 23% dos profissionais; saiba quais são os sintomas

Shutterstock
Imagem: Shutterstock

Do UOL, em São Paulo

01/02/2013 06h00

Depois de 30 dias de absoluto descanso, é hora de voltar ao trabalho, à rotina e aos problemas relacionados a ele. De repente, o profissional se sente angustiado, ansioso, com dores musculares e até dormir, apesar do cansaço, parece que fica muito mais difícil.

Esse é o retrato de 23% dos profissionais que sofrem depressão pós-férias, segundo uma pesquisa realizada em 2012 pela Isma-BR (International Stress Management Association no Brasil).

Para essas pessoas, o retorno às atividades gera grandes problemas físicos, emocionais e comportamentais. “Falta motivação para levantar, para fazer a barba e até para escolher a roupa para ir trabalhar. Tudo fica difícil, complicado, a pessoa demora mais para fazer qualquer coisa, fica mais preocupada, desmotivada, irritada”, diz Ana Maria Rossi, presidente da Isma-BR.

Principais sintomas

Físicos
dores musculares, cansaço, insônia, problemas gastrintestinais
Emocionais
angústia, ansiedade, culpa, raiva
Comportamentais
uso de medicamentos/drogas, consumo bebidas alcoólicas, consumo comidas mais calóricas, tabagismo

 

Segundo o estudo, os principais sintomas físicos são dores musculares (incluindo dor de cabeça), cansaço, insônia e problemas gastrointestinais. Entre os sinais emocionais, estão: angústia, ansiedade, culpa e raiva.

Os profissionais afetados pela depressão pós-férias costumam ainda ter alterações comportamentais, como uso de medicamentos, drogas e bebidas alcoólicas, consumo de comidas mais calóricas e tabagismo.

Mas não se assuste se nas duas primeiras semanas de retorno ao trabalho a motivação não aparecer. Rossi explica que nesse período há uma adaptação do corpo a uma rotina que o trabalhador não estava mais acostumado.

“Muitas pessoas sentem a rigidez do seu tempo, já que durante as férias você tem mais liberdade para decidir o que fazer. O problema é quando o funcionário não consegue se recuperar e, se exceder duas semanas, é importante que a pessoa procure um especialista”, afirma.

A especialista explica que a depressão pós-férias é caracterizada por uma insatisfação anterior no trabalho. Portanto, não acontece de forma súbita, é resultado de um sofrimento que já era percebido antes e que se manifesta com mais intensidade após o período de descanso.

De acordo com o levantamento, as causas mais comuns da depressão pós-férias são insatisfação profissional, falta de possibilidade de promoção ou aperfeiçoamento profissional, ambiente hostil ou não-confiável e conflitos interpessoais no trabalho.

Desse modo, talvez seja uma boa hora de avaliar qual é o foco do problema e, se for preciso, pensar em mudar de emprego ou buscar a ajuda de um especialista. O importante é que o trabalho e a rotina não se transformem em motivo de sofrimento.