Bolsas

Câmbio

Currículo é visto em segundos; evite fotos 'queima filme' e desorganização

Ricardo Marchesan

Do UOL, em São Paulo

  • Reinaldo Canato/UOL

O desejo de construir a carreira na empresa dos seus sonhos está nas mãos de um estranho que vai gastar poucos segundos pensando em você.

Essa é a realidade de todo profissional, já que o futuro em uma companhia começa sempre com o simples ato de enviar o currículo para análise.

Então é preciso caprichar: o conteúdo tem de ser enxuto, claro, bem organizado e não pode, jamais, expor o candidato ao ridículo.

"Já recebi currículos com selfies, fotos em baladas e até mesmo com o candidato segurando uma cerveja", afirma Letícia Gomes, analista de RH da Goomark, empresa de comunicação e marketing digital.

O tempo para impressionar um recrutador é muito curto.

"Em até 40 segundos, conseguimos definir o perfil técnico e os principais objetivos profissionais de um candidato", diz Marília Evangelista, consultora da Asap, especializada em recrutamento de executivos.

Segundo pesquisa feita pelo TheLadders, serviço norte-americano de procura de empregos, esse tempo é, em média, de seis segundos.

"Acredito que o número dessa pesquisa seja um pouco exagerado, mas vejo que recrutadores levam, no máximo, de 2 a 3 minutos por currículo", afirma Rodrigo Parisi, diretor da Hays, empresa de recrutamento.

A quantidade de currículos que um recrutador recebe varia de acordo com a empresa e a vaga, mas pode chegar facilmente a centenas.

Conciso e direto

Os recrutadores analisam, principalmente, dois pontos: experiência profissional e formação educacional, nessa ordem.

Os dados que o recrutador presta mais atenção são os lugares em que o candidato trabalhou e o tempo que passou em cada empresa.

Para Letícia Gomes, três é o número máximo de experiências profissionais descritas, podendo ser as últimas ou as que tenham mais relação com aquela vaga.

Marília Evangelista diz que há exceções. "Quando o candidato tem uma carreira longa, é possível colocar mais. Sugiro que a descrição cubra um período de dez anos da vida profissional".

Quatro informações sobre sua experiência são cruciais: nome e breve descrição da empresa, tempo que trabalhou, atividades que desempenhava e resultados obtidos.

"Os resultados não são apenas números. Se eles não podem ser medidos dessa forma, cite projetos importantes de que participou, por exemplo", diz Parisi.

É importante ser conciso, organizar em tópicos e utilizar palavras-chave que tenham ligação com a função.

Formação educacional

Depois de descartar todos os candidatos cuja experiência profissional descrita não interessa, o ponto analisado será a formação.

Graduação, pós e MBAs não podem faltar. Outros cursos relevantes são interessantes, desde que sejam ligados à área da vaga pretendida, afirma Parisi.

No campo de idiomas, use o formato clássico para descrever seu conhecimento: básico, intermediário, avançado e fluente.

Erros comuns no currículo
  • 1
    Informações demais
    As informações têm que ser curtas e precisas, o mínimo possível. Não é necessário elaborar muito, até porque tudo será discutido com mais detalhes em uma eventual entrevista. O currículo tem que ter apenas uma página. Duas, dependendo do caso, é o limite
  • 2
    Fotos ou imagens
    É melhor evitar. Uma foto bem colocada, formal, não será ruim. Mas muitos erram na dose e chegam a colocar fotos em festas ou com bebidas alcoólicas, afirma Letícia Gomes. Parisi diz que é melhor deixar as fotos para vagas em que elas sejam relevantes, como ator ou modelo
  • 3
    Design diferente
    Em empresas que trabalham com a criatividade, como agências de publicidade, enviar um currículo com desenho diferente pode ser um chamariz. Mas o melhor é não inventar. Utilize apenas duas cores e efeitos como negrito, letras maiúsculas, subtítulo, título e sublinhado. "Um currículo muito poluído pode ser descartado pela dificuldade de achar as informações", diz Letícia Gomes
  • 4
    Formato do arquivo
    Envie o arquivo em anexo ao email, de preferência em formato PDF. É o mais fácil para recrutadores abrirem e acessarem, não permite edições e evita problemas de compatibilidade de programas de computador. "Arquivos em Word também não são problemáticos, ainda que o PDF esteja ficando mais comum", afirma Marília Evangelista
  • 5
    Nunca mentir
    O ponto mais importante é garantir que as informações sejam verdadeiras, diz Marília Evangelista. O currículo tem que estar de acordo com o histórico do profissional, até porque os recrutadores podem detectar facilmente as mentiras nas etapas seguintes
Fonte: Marília Evangelista, consultora da Asap, Rodrigo Parisi, diretor da Hays e Letícia Gomes, analista de RH

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Assine e receba em seu e-mail em dois boletins diários, as principais notícias do dia

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos