Bolsas

Câmbio

Desempregado? Site permite fazer currículo em vídeo e saber se foi visto

Inês Pereira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Fazer um vídeo para divulgar o currículo e poder avaliar se teve bastante visualização. Essa é a proposta da startup carioca Vídeo Currículo Trinta Segundos, a VC30". Criado em janeiro deste ano, o serviço funciona da seguinte maneira: a pessoa grava um vídeo de 30 segundos destacando suas principais habilidades.

O material é analisado por profissionais de recursos humanos e jornalistas, que darão orientações sobre apresentação, linguagem, postura e adequação do conteúdo. Depois, o vídeo vai para o site com um currículo tradicional do candidato, que podem ser acessados por empresas cadastradas. A pesquisa é feita por palavras-chaves, como no YouTube.

Leia também:

O videocurrículo não pertence ao VC30", e sim à pessoa física, segundo Wagner Matheus, diretor-executivo e fundador da startup. Assim, se quiser, ela também pode usar o link e passar para empresas sem usar o site.

Inspiração veio da falta de feedback dos sites de vagas

A VC30" tem quatro sócios: Matheus, que é jornalista com experiência em TV e jornais no Brasil, Estados Unidos e Alemanha; dois profissionais de marketing e uma consultora de RH. A ideia de criar a startup surgiu da percepção de Matheus de que faltavam retorno e transparência nos sites tradicionais de emprego.

"Meus amigos reclamavam da falta de retorno dos sites de vagas. Pagavam taxas altas e passavam meses sem saber se seu currículo havia sido visto ou quais eram as empresas interessadas em contratar. Alguns até suspeitavam da existência das vagas", disse.

O diretor afirmou que, ao postar o videocurrículo, o candidato pode acompanhar as visualizações pelas empresas. "Ele terá um indicativo quanto ao interesse despertado no mercado", disse Matheus. No site, ele também pode pesquisar as empresas cadastradas.

O site é voltado especialmente aos millenials (jovens nascidos entre 1990 e 2000) "É uma geração youtuber, que já cresceu no contexto digital. Compartilhar arquivos e experiências virtuais pessoais faz parte da rotina, e eles têm uma forma de se expressar muito mais direta e audiovisual do que as outras gerações", afirmou.

Simplicidade e baixo custo

O candidato que se inscrever no VC30" não precisa preencher nenhum cadastro. A taxa para inscrição é de R$ 20. Há também a opção gratuita --nesse caso, sem direito à análise e orientação dos especialistas. Para as empresas, a taxa de uso é de R$ 40.

Segundo o diretor-executivo, o VC30" recebeu 10,6 mil videocurrículos, especialmente de jovens entre 18 e 25 anos do eixo Rio-São Paulo, e inscrição de 4.000 empresas. O faturamento chegou a R$ 65 mil. Os sócios projetam fechar este ano com 20 mil candidatos e faturamento de R$ 800 mil. 

Mercado das startups de RH é promissor

Para a consultora de gestão Ana Paula Tozzi, CEO da AGR Consultores, existe um boom de investimentos em startups relacionadas a recursos humanos. "Em função de demandas surgidas com a nova legislação trabalhista, muitas startups chegam para controlar coisas que antes os RHs nunca controlaram, como formato de trabalho diferenciado", disse.

Segundo estudo feito pela aceleradora corporativa Liga Ventures, em parceria com o Ibmec, existem 122 startups na área de RH mapeadas no país. Conhecidas como HRTechs, elas estão concentradas especialmente em São Paulo e atuam em todos os segmentos de recursos humanos.

O alto índice de desemprego, entre outros fatores, impulsiona startups especializadas, incluindo os sites de vagas como o VC30", disse Ana Paula.

"Os sites tradicionais de vagas já não são vistos como melhor opção por não oferecerem a transparência muito valorizada pelos millenials", afirmou a consultora. Os currículos tal como conhecemos até agora também perderam a força. Eles não mostram o equilíbrio emocional, a criatividade, o jogo de cintura do candidato, segundo ela.

Poupa tempo de recrutadores e profissionais

Isso toma um tempo enorme dos recrutadores com entrevistas. "Eles querem olhar nos olhos dos candidatos, ver como se expressam, o grau de flexibilidade. Um videocurrículo bem realizado mostra as duas coisas: o conhecimento acadêmico e a postura, a expressão. Fica possível fazer uma pré-seleção do perfil desejado para uma vaga, por exemplo", disse Ana Paula.

No caso da VC30", disse ela, o orientador de RH sabe quais as palavras-chaves mais usadas pelos profissionais, sabe o que eles desejam ver nos perfis. E vai dar essa orientação para o candidato. Assim como as dicas de postura, fala, técnica e visual.

Para os usuários, essa ferramenta será útil, tanto pela possibilidade de monitorar as visualizações, sabendo que empresas reais estão vendo o seu vídeo, como também pela agilidade. Eles também serão poupados de se deslocar até uma entrevista de processo seletivo que pode não dar em nada, disse Ana Paula. Sem falar que, com a orientação sobre postura, palavra-chave e como construir o perfil, eles têm mais chances de competir.

O grande desafio será conseguir o equilíbrio entre a satisfação do candidato e das empresas. Se os recrutadores buscam uma, duas ou três vezes e não encontram o que esperam, recorrerão a outros sites rapidamente. Mas se conseguirem atingir os objetivos em buscas rápidas, vão fechar contratos anuais com o site.

Onde encontrar:

 VC30" - http://vc30.me/site/ 

Especialista dá dicas sobre o que vestir ou não no trabalho

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos