PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

FAQ


Sites de emprego: veja 14 alternativas para cadastrar seu currículo

Allan Nascimento

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/03/2021 04h00

Se o currículo em papel já era um artigo em extinção, hoje, por causa da pandemia, grandes empresas já realizam todas as etapas de contratação no ambiente virtual.

Os recrutadores visitam cada vez mais o banco de dados dos maiores sites e plataformas de emprego do mercado para buscar candidatos.

A seguir, contamos como alguns desses serviços funcionam, como cadastrar os seus dados para ter mais visibilidade e como evitar erros na hora de preencher um dos mais populares, o LinkedIn.

Saiba Tudo sobre Sites de Vagas de Emprego

Qual a vantagem de cadastrar o currículo em um portal de vagas?

Os recrutadores apontam que os portais de emprego funcionam como um "shopping" virtual para quem oferece sua força de trabalho ao mercado. Ao cadastrar um currículo em um portal, o candidato amplia as chances de conquistar um emprego, divulgando seus dados e sua experiência profissional de forma rápida e em um ambiente de grande visibilidade.

"Tudo o que ouvimos sobre a importância da presença digital se faz necessário também neste contexto, trazendo benefícios como a possibilidade de o candidato ser encontrado pelas empresas, velocidade na resposta e na inscrição, [disponibilidade de] modelos pré-definidos de currículo e de testes para as vagas", explica Michele Villa Franca, especialista em RH e CEO do Carreira Preta, consultoria especializada em ações afirmativas para a população negra.

Como funcionam os sites de emprego?

Nos principais sites, o candidato pode informar suas habilidades técnicas, as "hard skills", e comportamentais, as "soft skills".

"A partir disso, as empresas têm a oportunidade de realizar filtros por perfis e competências para identificar os candidatos que mais se aproximam do perfil desejado para a vaga", explica Haliny Torres de Oliveira Câmara, coordenadora da graduação em Gestão de Recursos Humanos do Senac EAD.

Além disso, de acordo com Haliny, candidatos costumam ser avisados pelos portais quando há vagas que batem com o seu perfil e podem acompanhar nos sites como anda a visualização dos seus currículos.

Alguns sites de emprego cobram assinatura; vale a pena?

O mercado oferece hoje diversas opções gratuitas, mas, na opinião dos especialistas, se o candidato quiser assumir esse gasto, precisa se envolver na busca por emprego de forma mais ativa.

"Optar por esse investimento requer um compromisso com você e seu dinheiro. Só faça o investimento se puder criar uma agenda e uma disciplina de dedicação para buscar oportunidades diariamente", diz Michele.

Para Haliny, ferramentas pagas podem ser um diferencial para candidatos que buscam cargos de nível tático e estratégico.

"Esse tipo de cadastro potencializa as chances dos candidatos. Seus currículos terão maior visibilidade, e eles terão acesso a informações e recursos diferenciados, como dados completos da empresa contratante, consultoria para a elaboração do currículo, avaliações comportamentais, networking, visualização dos recrutadores que acessaram o currículo, entre outros", destaca Haliny.

Quais são os principais sites de emprego?

Há diversos tipos de sites, como rede social, ferramenta específica para determinado setor ou categoria e plataforma que presta assessoria aos candidatos. Abaixo, uma seleção com alguns dos sites para você criar um perfil e buscar uma vaga:

1. LinkedIn: Rede social que conecta, principalmente, profissionais que estão procurando emprego, que querem fazer contato com colegas de trabalho ou que querem acompanhar as tendências do mercado corporativo.

2. Catho: Serviço que se apresenta como um classificado online de currículos e vagas. A plataforma cobra assinatura, mas o candidato pode testar o serviço gratuitamente.

3. Emprega Brasil: Site do Ministério da Economia que auxilia na busca de vagas de emprego e estágio em todo o país. A curadoria da plataforma assegura que todos os postos em aberto oferecem garantias trabalhistas e previdenciárias.

4. Banco Nacional de Empregos: Portal de vagas gratuito, também tem uma rede de atendimento presencial distribuída em mais de 30 unidades espalhadas pelo Brasil.

5. Empregue Afro: É uma consultoria de recursos humanos especializada em diversidade étnico-racial. Entre outras ações, a empresa auxilia profissionais negros que buscam oportunidades no mercado de trabalho. O usuário pode enviar o currículo para o banco de dados da consultoria sem custo algum.

6. InfoJobs: É um site de currículos gratuito e acessível para profissionais de todas as áreas. O portal oferece, entre outros pontos, que o candidato acompanhe o status da sua candidatura e do processo seletivo do qual está participando.

7. Vagas.com: Portal de currículo gratuito para todos os candidatos cadastrados, o site tem uma ferramenta para avaliação de habilidades comportamentais. É acessado por mais de 3.000 empresas. O usuário pode acessar vagas similares às quais se candidatou e há a possibilidade de incluir no cadastro sua autodeclaração de raça —informação que pode ser acessada apenas por empresas que assinaram um termo de compromisso com a inclusão.

8. Deficiente Online: Portal para cadastro gratuito de candidatos com deficiência. Atualmente, tem quase 8.000 vagas exclusivas para PcD espalhadas por todo o Brasil.

9. Indeed: É um serviço gratuito e agrupa, entre outros conteúdos, informações sobre dados salariais de milhares de empresas, assim como apresenta informações sobre as companhias parceiras da plataforma.

10. 99jobs: É uma start-up que diz promover um "match" entre o candidato e a empresa, como se fosse um Tinder dos empregos. Para ajudar o usuário a encontrar uma vaga alinhada a seus planos de carreira, o site busca, entre outras coisas, compilar dados sobre as companhias cadastradas na plataforma.

11. Trabalha Brasil: É um classificado online de vagas gratuito para o usuário. O serviço direciona as oportunidades de acordo com o perfil do candidato.

12. Seleção Engenharia: É um serviço de vagas setorial, exclusivamente voltado para profissionais das áreas de engenharia e arquitetura. Pago, oferece um plano pré-pago.

13. Jurídico Vagas: É uma plataforma de vagas voltada para o segmento jurídico. É uma iniciativa do site Jusbrasil e oferece oportunidades para advogados, estagiários e formados em direito.

14. Emprego Ligado: É um site e aplicativo de vagas de empregos para mão de obra operacional. Uma das ferramentas do serviço ajuda o candidato a buscar por oportunidades perto de casa.

Quais são as áreas com mais vagas?

De acordo com a Catho, em um levantamento realizado no ano passado, a busca por profissionais da saúde cresceu cerca de 725% em 2020. Os setores de e-commerce, redes sociais e atendimento ao cliente também registraram um aumento no número de vagas, impulsionados pelos novos hábitos impostos pelo isolamento social.

Vagas para supervisor e analista de SAC (serviço de atendimento ao consumidor) cresceram 214% e 158%, respectivamente; para produtor de conteúdo, a alta foi de 126% e, para vendedor de e-commerce, de 118%.

Também são bastante demandados atualmente programadores, profissionais que atuam no reparo doméstico e na decoração de móveis, como azulejista, encanador, projetista de móveis e pedreiro.

O levantamento da Catho também apontou que, ao todo, as carreiras no setor de tecnologia tiveram alta de 671% em 2020, com crescimento no número de vagas para posições como cientista de dados, desenvolvedor.NET, devOps, web developer e programador ADVPL.

O que devo colocar em destaque ao montar o currículo em um site de emprego?

O currículo deve funcionar como um atrativo para o candidato, já que tem como principal objetivo fazer com que o recrutador se interesse e queira saber mais a respeito dele, a ponto de marcar um bate-papo.

"Para isso acontecer, informe sua capacidade de entrega, como conduz o seu trabalho e os desafios que você já enfrentou. Indique como foi seu desempenho nestas situações. Rotinas de trabalho, formação e datas são informações que devem ser apresentadas seguindo uma coerência cronológica", ensina Michele Villa Franca, do Carreira Preta.

Como chamar a atenção do recrutador?

Vai se destacar na plataforma o candidato com 100% dos campos de informação do site preenchidos, disse Suelen Marcolino, gerente de relacionamento do LinkedIn na área de soluções de talentos. Para ela, ajuda na busca se os perfis descreverem as experiências do candidato com palavras-chave ligadas aos seus interesses de carreira.

Veja as dicas da executiva para montar um plano de busca de emprego no LinkedIn:

  • Filtre seus interesses de carreira - Isso serve para encontrar as vagas que mais têm a ver com seu perfil profissional;
  • Não se candidate para vagas que não têm a ver com sua atuação - É melhor fazer uma candidatura certeira e bem estudada para dez vagas do que enviar o currículo para 500 empresas, acreditando que haverá alguma vaga aberta com seu perfil.
  • Assine os alertas de vagas - É possível assinar com filtros específicos, como por empresa, localidade ou setor de atuação;
  • Use o filtro de foto com a legenda #OpentoWork - A ferramenta foi lançada no Brasil no início da pandemia, para ajudar quem perdeu o emprego. Quem aderiu ao filtro recebeu 40% mais mensagens de recrutadores via mensagem privada, além de 20% mais mensagens de colegas de trabalho recomendando a pessoa para um emprego.

Vale mandar uma mensagem ao recrutador no LinkedIn?

"Sim, mas vale principalmente agradecer o compartilhamento da oportunidade e se disponibilizar para se apresentar pessoalmente. Este profissional está em busca de vários talentos para diferentes vagas, essa conversa deve gerar valor para ele, senão você se torna mais uma pessoa cobrando respostas e prazos. Atenção nessa interação", diz Michele Villa Franca, do Carreira Preta.

Quais os principais erros dos candidatos na hora de se cadastrar nos sites?

A plataforma 99jobs elencou alguns dos principais erros cometidos por candidatos na hora do cadastro no serviço de busca de emprego:

  • Candidatar-se para vagas em empresas com as quais não têm "match" cultural, ou seja, não tem alinhamento;
  • Candidatar-se para muitas empresas que você não conhece, só porque elas têm vagas abertas;
  • Candidatar-se para vagas que demandam habilidades que a pessoa não tem;
  • Ser muito ansioso e buscar incessantemente respostas antes de o processo ser finalizado;
  • Manter o currículo desatualizado;
  • Preencher campos de resposta com informações diferentes das que foram solicitadas, ou seja, responder apenas por responder.

Clico em uma vaga no LinkedIn e sou redirecionado para outro site: por quê?

Por várias razões, mas a principal é que essas plataformas existem para ajudar no filtro de vagas dos recrutadores. Ali, o candidato automaticamente já pode ser encaminhado para alguns testes que vão avaliar se ele tem o perfil que a empresa procura. Por isso, é importante preencher esses serviços com atenção.

"Na nossa plataforma, todos os currículos são revisados igualmente pela nossa Inteligência Artificial, chamada Gaia, que analisa todas as informações e características profissionais, exceto características pessoais como gênero, etnia, idade, entre outras. O resultado deste processo é um ranking de candidatos com perfis mais diversos, e ordenado segundo a afinidade com a vaga", explica Guilherme Dias, CMO e co-founder da Gupy, software de admissão e recrutamento e seleção usado por grandes empresas.

De acordo com Dias, 70% das pessoas contratadas pelas empresas que usam o serviço estavam nas dez primeiras posições apontadas no ranking feito pela plataforma de inteligência artificial da Gupy.