Bolsas

Câmbio

Fundos com dólar podem render, mas são para quem tem sangue de barata

Sophia Camargo

Do UOL, em São Paulo

  • Thinkstock

    dinheiro; dólar; notas; riqueza

    dinheiro; dólar; notas; riqueza

Com o dólar batendo recordes de alta, a rentabilidade dos fundos cambiais está uma beleza. Pelas contas da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), só neste ano (até o dia 15), os fundos cambiais subiram 14,97%.

No mesmo período, os fundos DI, tradicional investimento dos conservadores, renderam 4,67%. E os fundos indexados às ações do Ibovespa levaram um tombo de 15,86%.

Com essa rentabilidade de dois dígitos, quem tem dinheiro para aplicar quer logo tirar a sua casquinha. Mas será que vale a pena investir agora em fundos cambiais para aproveitar a alta do dólar?

RENTABILIDADE OBTIDA PELOS FUNDOS EM 2013

TIPO DE FUNDO RENTABILIDADE
CAMBIAL 14,97%
DI 4,67%
MULTIMERCADO MACRO 4,39%
MULTIMERCADO JUROS E MOEDAS 1,87%
AÇÕES INDEXADO AO IBOVESPA -15,86%
  • FONTE: ANBIMA - DADOS ATÉ 15.08.2013

Fundo cambial é para quem tem "sangue de barata"

O professor de Finanças da Fiap Marcos Crivelaro acha que, como diversificação, a aposta em fundos cambiais é viável para quem está acostumado com as oscilações da renda variável. Mas ele alerta que o investidor não deve dormir sobre a aplicação. "Acredito que funciona para o médio, curto prazo", diz. "O comportamento do câmbio é muito instável."

Para o professor de Economia e Finanças do Insper (Instituto de Ensino e Pesquisa) Otto Nogami, a opção só vale para quem "sangue de barata".

Ele afirma que esse investimento só é aconselhado para quem não fica nervoso diante do sobe-e-desce do dólar e investiu apenas um pequeno percentual do seu patrimônio, aquela parte que não vai fazer falta mesmo se evaporar.

Nogami diz que a valorização do dólar é muito circunstancial, instável, e, da mesma forma que subiu rapidamente, pode ser que o ganho acumulado desapareça.

"Esse não é um tipo de aplicação cujo ganho seja acumulativo, pois vive em função da volatilidade, da oscilação do mercado. Da mesma forma que o ganho vem rápido, a perda acontece rapidamente também."

CLIQUE NA IMAGEM E ENTENDA COMO FUNCIONA O MERCADO DE DÓLAR

Para investir, não olhe só para o retrovisor

O diretor-técnico da Apogeo Investimentos, Paulo Bittencourt, também não aconselha os investidores novatos a entrarem no mercado de fundos cambiais apenas olhando para a rentabilidade que tiveram até agora.

"Não vale olhar só pelo retrovisor", diz. Ele afirma que até bem pouco tempo atrás esses fundos estavam hibernando, quase sem nenhuma movimentação. E que agora que o dólar deu esse salto, é difícil que repita a mesma performance daqui para a frente. Segundo ele, para que os fundos tivessem o mesmo desempenho, o dólar teria que chegar a R$ 2,93.

Para o especialista, uma estratégia mais inteligente para ganhar dinheiro com a alta do dólar é investir em fundos multimercado do tipo juros e moeda sem renda variável, para deixar que um gestor profissional administre essa oscilação forte.

"A cada R$ 3 de fundo multimercado sem renda variável, eu investiria R$ 1 em fundo multimercado com renda variável para aproveitar também alguma recuperação da Bolsa."

Otto Nogami, do Insper, concorda com a estratégia. "Os fundos multimercado carregam ouro, juros, ações, outros ativos, de forma a diluir o risco puramente cambial."

Marcos Crivelaro afirma que, por conterem outros ativos, os fundos multimercado oscilam menos e podem servir como opção para aplicações maiores.

Pelos dados da Anbima, os fundos multimercado também estão no azul –os do tipo macro obtiveram valorização de 4,39% até o dia 15. Essa classe de fundos, segundo a Anbima,  realiza operações com diversos ativos de renda fixa, variável e câmbio baseadas em cenários macroeconômicos de médio e longo prazos.

Os fundos multimercado do tipo juros e moeda subiram 1,87% no mesmo período.

Atingiu seu objetivo? Embolse seu dinheiro e pule fora

Para quem acredita que o dólar ainda tem muito que subir, Nogami ensina uma estratégia para tentar garantir o lucro. "Estabeleça uma meta. Suponha que o investidor acredite que o dólar irá atingir R$ 2,50. Se isso acontecer, embolse o ganho e saia da aplicação. Porque a reversão da tendência é muito rápida e a perda acontece de um dia para o outro."

Além disso, Paulo Bittencourt, da Apogeo, diz que, como estratégia de investimento, nunca é bom colocar todos os ovos na mesma cesta.

"É bom ter um bom fundo DI com uma taxa de administração bem baixa e também algo como um fundo de crédito (fundos que investem em ativos de renda fixa, podendo ser ativos de médio e alto risco). "Esses fundos estão fora da volatilidade da Bolsa e vão garantir uma rentabilidade acima do CDI."

Quem vai viajar para o exterior deve investir em fundo cambial?

Para quem vai viajar em breve, o professor Otto Nogami não aconselha o investimento em fundos cambiais. Para ele, é melhor ir comprando a moeda aos poucos para diluir o risco.

Ele diz que quem vai viajar agora em dezembro, por exemplo, deveria dividir o total do gasto estimado da viagem pelos 4 meses que faltam e comprar 25% dos dólares a cada mês. "Desse modo, a pessoa não arrisca tudo de uma só vez."

Já Bittencourt, da Apogeo, acha melhor não arriscar nem isso e comprar os dólares de uma vez. "Se a pessoa tem o dinheiro agora e pode comprar, é melhor garantir, pois a tendência do dólar ainda é de alta, apesar de que não podemos dizer o quanto ele irá subir."

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos