Bolsas

Câmbio

Para ficar rico, junte dinheiro como se estivesse pagando uma conta de luz

Sophia Camargo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Getty Images/iStockphoto

Você quer ficar rico, mas só paga contas e mais contas? Vai ser difícil chegar lá desse jeito. Para alcançar a independência financeira, é preciso criar um compromisso: aprenda a se "pagar" primeiro, ou seja, sempre reserve um dinheirinho para poupar. Faça isso como se estivesse pagando uma conta de luz.

Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, é comum a pessoa se programar para nunca deixar de pagar a conta de água, do aluguel, do financiamento, da escola, e poupar apenas se sobrar um dinheiro no fim do mês.

"É importante que se faça um compromisso consigo mesmo de fazer a reserva financeira, e isso tem que ser tratado como uma conta fixa e inadiável, como pagar a conta de luz", diz.

Como se pagar?

Qual é a maneira que muitos fazem para não esquecer de pagar as contas? Colocam no débito automático. Então, essa também é uma sugestão para não esquecer de "se pagar" primeiro: programe uma aplicação automática para investir o dinheiro assim que o salário for depositado.

Kawauti afirma que, para quem ainda não tem o hábito de poupar, é recomendável que a aplicação seja direcionada à poupança programada, pois assim o dinheiro já fica separado para investimento.

"Depois, com mais calma, decida onde investir o dinheiro de acordo com os objetivos", diz.

A grana está curta, não dá para poupar?

Com a crise, muita gente perdeu o emprego e não consegue manter a programação da poupança no mesmo nível de quando estava empregado. Segundo a economista, um erro comum é acreditar que não vale a pena poupar quando a quantia é pequena. "Ainda que guarde menos, mantenha o hábito da poupança, pois depois é difícil retomar."

Suponha que sobrem R$ 50 para poupar por mês. Na calculadora do cidadão do Banco Central, é possível fazer simulações de quanto você acumularia na poupança.

Clique aqui e informe os dados para fazer a simulação na calculadora. Informe o número de meses que pretende investir, a taxa de juros mensal que rende a aplicação e o valor do depósito regular. Ao clicar em "calcular", encontrará o valor obtido ao final das aplicações.

Veja exemplos:

R$ 50 por mês na poupança:

  • Número de meses = 120 (10 anos)
  • Taxa de juros mensal = 0,65% (rendimento mensal da poupança, aproximado)
  • Valor do depósito regular = R$ 50
  • Valor obtido ao final = R$ 9.104,74

R$ 100 por mês na poupança:

  • Número de meses = 120 (10 anos)
  • Taxa de juros mensal = 0,65% 
  • Valor do depósito regular = R$ 100
  • Valor obtido ao final = R$ 18.209,49

Como começar?

O primeiro passo é fazer o orçamento doméstico (veja aqui como fazer um orçamento doméstico passo a passo).

O ideal é separar um terço do salário líquido para pagar despesas fixas, um terço para poupar e um terço para lazer.

Como muitos terão dificuldade com essa conta, especialmente se têm filhos e muitas despesas, procure poupar ao menos 10% do salário líquido.

O primeiro destino dessa poupança é criar uma reserva financeira que cubra seis meses de despesas.

"É o tempo que um empregado demora em média para se recolocar no mercado de trabalho após ficar desempregado. Como estamos em crise, é aconselhável engordar essa poupança para cerca de 8 meses", diz a economista.

Feita essa reserva, que só deve ser usada para emergências como desemprego, problemas de saúde ou despesas inesperadas (danos ao imóvel ou ao carro, por exemplo), direcione a poupança para a aposentadoria e uma parcela para os sonhos mais imediatos de curto e médio prazos, como viagens ou troca do carro.

"Se fez o orçamento doméstico, planejou quanto vai gastar com as contas e quanto vai poupar, o resto pode ser gasto sem dó, pois também é preciso viver e ter alegrias", afirma.

 

Tecnologia ajuda na organização das finanças

  •  

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos