Bolsas

Câmbio

Tomou até banho frio para pagar dívida de R$ 200 mil e virar empresário

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Acervo pessoal

    Seixas diz que conseguiu colocar contas em dia com o método "criação de riquezas"

    Seixas diz que conseguiu colocar contas em dia com o método "criação de riquezas"

O eletricista Alan Seixas, 35, do Rio de Janeiro, diz ter conseguido colocar suas contas em dia, quitar uma dívida de mais de R$ 200 mil, guardar dinheiro e hoje ser empresário, após aplicar o método "criação de riquezas" para mudar seus hábitos financeiros. Para economizar, diz que tomou até banho frio.

O método é um treinamento de inteligência emocional usando ferramentas de coaching e recomenda seis passos para enriquecer, entre eles guardar em casa 5% do seu ganho mensal líquido, doar 10% e aplicar outros 10%. Foi criado por Paulo Vieira, 50, fundador em 2007 da Febracis, empresa de coaching com sede em Fortaleza (CE).

Leia também:

"Seguir os seis passos virou um mantra para mim", declara Seixas, que em 2015 leu livros de Vieira e assistiu às aulas online do curso diariamente, para conseguir "treinar a mente". "Não é difícil, mas é preciso ter disciplina e repetição para atingir os resultados."

Passou a tomar banho frio para cortar gastos

O passo mais difícil, diz Seixas, foi reservar 60% do seu ganho mensal para pagar contas e dívidas. No início, seus gastos chegavam a 120% do que ganhava.

Seixas diz ter vendido um carro e usado o dinheiro das férias para amortizar dívidas, renegociado seu saldo devedor com o banco e cortado os gastos drasticamente.

Excluir gastos supérfluos (como parar de comer fora) e diminuir a conta de luz foram algumas das medidas adotadas por ele e sua mulher, Clarisse. "Trocamos o ar-condicionado por ventilador, diminuímos o tempo do banho e até adotei o banho frio", declara. 

Em quatro meses, ele diz que passou a ganhar mais do que gastava. "Não zerei a dívida, mas consegui colocar a parcela devedora como uma conta do mês e pagava certinho", relata. Em um ano, Seixas diz ter colocado seus gastos dentro do percentual de 60% recomendado.

Fazia "bico" para ganhar mais e teve promoção

Nesse mesmo período, ele disse que passou a ganhar mais devido a uma promoção na empresa onde trabalhava como eletricista. Além disso, começou um segundo trabalho, como bico, vendendo cursos variados pela internet e ganhando comissões pelas vendas.

Em março do ano passado, Seixas saiu da empresa onde trabalhava, especializou-se em coaching e passou a viver de palestras e cursos sobre o assunto.

Compra de franquia de açaí

No final de 2017, ele e dois sócios compraram uma franquia da rede Trevo Açaí, que vende produtos com açaí. Investiram R$ 500 mil. A unidade, em Niterói (RJ), deverá ser inaugurada em maio.

"Entendi que precisava passar por essa reprogramação de crenças financeiras, para chegar onde cheguei. Agora sou empresário. Em quatro anos, a meta é abrir 20 unidades dessa franquia", declara.

A seguir, confira os seis passos do método criado por Paulo Vieira. Seixas relata como seguiu as orientações, e o fundador do buscador de investimentos Yubb, Bernardo Pascowitch, comenta o método e dá dicas de como aumentar seus rendimentos.

1) Pagar-se primeiro: 5%

Reserve 5% de sua renda líquida para você mesmo. "Você é o primeiro merecedor do seu dinheiro. A ideia é acabar com a crença de que 'o mês acabou e nem vi a cor do dinheiro' e com a sensação de não ter dinheiro em mãos", diz Vieira.

Segundo ele, após seis meses juntando em casa, a pessoa deve aplicar o recurso em outra coisa, como investir, colocar na poupança e até gastar com algo que queira comprar. "Mas é importante que ela sempre tenha dinheiro em casa. Isso é um hábito de pessoas ricas", afirma.

Passar a ter dinheiro em casa foi o que Seixas fez. "No início, guardava R$ 100 na gaveta todo mês e dizia que era para ver a cor do dinheiro. Depois de seis meses, peguei os R$ 600 e investi em Tesouro Direto", relata ele, que até hoje guarda em casa 5% do que ganha. "Fiz disso um hábito."

Apesar de concordar que é importante guardar parte do ganho mensal para si e os prazeres da vida, Pascowitch diz que a pessoa "nunca deve manter dinheiro em casa", pois não terá rentabilidade. "Deixar o dinheiro em casa é perder poder de compra todo mês em razão da inflação, algo indesejado", declara. Poupança, diz, também não é boa opção.

"Há opções de investimentos mais rentáveis e tão seguros quanto a poupança, como CDBs, LCIs, LCAs e Tesouro Direto. É importante ter a chamada 'reserva de emergência' como uma quantia sempre disponível para ser sacada a qualquer momento, mas ela precisa estar aplicada em alguma alternativa que traga rentabilidade interessante", afirma.

2) Doar: 10%

Doe 10% de sua renda líquida. "Quem não tem o que doar, é miserável. Doar para alguém ou para alguma instituição necessitada fará seu cérebro entender que você sempre terá dinheiro suficiente", afirma Vieira. Na sua visão, quem planta abundância colhe abundância.

Mesmo contrariado no início, por conta da dificuldade financeira, Seixas diz que sempre reservou parte do que ganhava e doava para uma igreja evangélica. "Comecei doando R$ 100 até chegar aos 10%, em um ano. Faço doação até hoje."

Para Pascowitch, a pessoa deve fazer doações, mas recomenda que os recursos a serem doados sejam fruto do rendimento de investimentos. Segundo ele, a partir de um investimento de R$ 10 mil em um CDB que renda 11% ao ano (ou 0,87% ao mês), a pessoa terá rendimentos mensais de R$ 87. "É possível destinar esse valor dos rendimentos para doação, de forma a manter o principal investido."

3) Pagar as contas: 60%

Da sua renda líquida, reserve 60% para pagar as contas. "Você deve fazer uma reengenharia no seu orçamento e ter a disposição moral, a coragem, a força, a determinação de mudar. Tem de respeitar esses 60%. Negligenciar esse passo irá afetar todo o restante da organização financeira", declara Vieira.

Desde que começou a seguir o método, em 2015, Seixas diz ter levado um ano para colocar suas contas dentro dos 60% recomendados. "Esse terceiro passo é sagrado para mim. Não deixo minhas contas extrapolarem esse percentual", diz.

Pascowitch diz que o percentual de 60% é "interessante na medida em que a pessoa será forçada a se programar e balancear os seus recursos", a fim de pagar contas, empréstimos e dívidas.

Entretanto, afirma ele, é importante analisar cada caso. "O fundamental é entender o seu orçamento, fazer uma planilha de receitas e gastos mensais, para saber qual o montante de contas, empréstimos e dívidas mensais na sua vida. Com base nisso, será mais fácil e mais eficiente fazer o planejamento da parcela do orçamento que será destinada às contas", afirma.

Ele dá um exemplo: se, ao fazer seu planejamento financeiro, a pessoa vê que precisa de 50% para pagar contas, ela poderá usar os 10% (já que não precisará reter 60% para essa finalidade) para investir, se divertir ou guardar para o sonho.

4) Investir para ser rico: 10%

Para Vieira, a pessoa deve reservar 10% do seu ganho líquido mensal para investimentos, como ações e aplicações. Se necessário, invista antes num curso de educação financeira. "São esses 10% que irão fazer você acumular dinheiro e formar um 'caixa' do investimento para que o dinheiro trabalhe em seu benefício."

Seixas relata que, em três meses seguindo o método, começou a investir em ações na Bolsa de Valores. "Investia pouquinho, mas era só para ter o gostinho para ver que eu estava investindo. Hoje meus investimentos passam dos 10%."

Para Pascowitch, o ideal é que o percentual do seu orçamento para investir seja maior: de 15% a 20%. "Especialistas recomendam isso a fim de compensar meses eventualmente mais difíceis em termos de guardar dinheiro para investir", afirma.

Ele destaca, no entanto, que cada pessoa deve fazer investimentos de acordo com o seu perfil. Por exemplo: investir em ações não é recomendado para iniciantes ou com perfil de aversão a risco.

5) Poupar para os sonhos: 10%

Essa é uma meta de prazer pessoal, diz Vieira. Segundo ele, é fundamental poupar 10% da sua renda líquida para a realização de algum sonho dentro de um prazo definido, como viajar ou comprar algo.

"Realizar um desejo deve ser feito com planejamento. Ao poupar para um sonho, sua mente vai entender que você era gastador e agora é poupador."

Ao adotar o método em 2015, o sonho de Seixas era conseguir enquadrar suas contas e dívidas dentro do limite de 60% do seu ganho, o que ele diz ter conseguido num prazo de um ano. "Depois eu poupava esses 10% para sonhos de curto prazo, como fazer a festa de aniversário da minha filha", relata. Hoje, seu sonho é focado na sua franquia Trevo Açaí.

Sobre isso, Pascowitch tem a seguinte opinião: poupar para os sonhos, mas o dinheiro deve ser investido para ser multiplicado. Ele diz que, se a pessoa aplicar R$ 500 em CDB (rentabilidade de 11% ao ano), esse dinheiro poderá se transformar em R$ 555 após 12 meses. "Se aplicar R$ 500 todo mês, ao final de 12 meses, ela poderá ter um valor muito maior do que se apenas guardasse os R$ 500 por mês sem investir."

6) Gastar à vontade: 5%

Por fim, 5% da renda está liberada para você fazer o que quiser, de acordo com o método desenvolvido por Vieira.

"Esse passo é muito importante, porque você está informando ao seu cérebro que tem dinheiro em abundância, tanto que até sobraram esses 5% do orçamento, e que vive de acordo com suas possibilidades, e não segundo suas limitações. É a liberdade de gastar da forma que quiser", afirma.

Para ele, o termo rico significa ter abundância na vida. "Do seu trabalho, você deve aprender a viver em abundância, pagando as contas, investindo, guardando para você mesmo, realizando sonhos, doando e ainda tendo um pouco para esbanjar no que quiser. É um estilo de vida", declara Vieira.

Para Seixas, esse passo de reservar 5% para gastar como quiser não existia para ele em 2015. "Não sobrava nada naquela época. Mas, depois de um ano, assim que consegui reservar 5% para a abundância, saímos para jantar fora, num restaurante bem caro", relata.

Seixas diz que hoje, como empresário e bem de vida, não se atém tanto aos percentuais do método. "O que não muda é o terceiro passo: 60% para os gastos fixos, mas acabo flexibilizando os outros percentuais", afirma.

Para Pascowitch, se a pessoa já separou parte para poupar para os sonhos (10%) e parte para se pagar primeiro (5%), em tese ela já teria garantida a parcela para a "abundância". "Seria importante aproveitar os 5% do 6° passo para aumentar a parcela de investimentos", diz.

Vieira, criador do método, diz que a vida financeira não muda se a pessoa não mudar. "Você precisa criar a mentalidade de que sempre terá renda suficiente. Da mesma forma que se fazem exercícios para fortalecer os músculos, também é preciso se exercitar diariamente para o fortalecimento da mente", declara.

Onde encontrar:

Febracis - https://www.febracis.com.br/

Se não sabe responder a estas 5 questões, será muito difícil ficar rico

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos