PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

IR 2020: Saiba qual é a diferença entre dependente e alimentando

Colaboração para o UOL, de São Paulo

10/02/2020 16h04

Dependente e alimentando são figuras diferentes na declaração do Imposto de Renda. Normalmente, quem é dependente não pode ser alimentando na mesma declaração e vice-versa.

O dependente é a pessoa que se encaixa em uma das definições dadas na tabela de dependentes da Receita Federal. Pode ser o filho, o pai, o companheiro, uma pessoa de quem o contribuinte tenha a guarda judicial.

Mas, para ser dependente, é preciso seguir as rígidas regras da Receita. Por exemplo: um filho só pode ser considerado dependente até 21 anos. Ou até 24 anos, se ainda estiver cursando escola técnica ou ensino superior.

O alimentando é o beneficiário da pensão alimentícia judicial ou decidida num acordo feito por escritura pública. Pode ser uma criança ou um adulto. Exemplo: uma ex-mulher, um ex-marido, um filho, um pai, um parente qualquer. Se o juiz decidiu que alguém necessita da pensão alimentícia, ele é um alimentando.

O que pode deduzir?

O contribuinte pode deduzir, na declaração, todos os gastos que teve com um dependente. Alguns têm limite; outros, não. Entre as deduções possíveis, estão gastos com educação, despesas médicas, contribuição à Previdência etc.

No caso do alimentando, é possível deduzir a pensão alimentícia judicial paga. As despesas médicas e com instrução só poderão ser deduzidas se também constarem da sentença judicial.

Ou seja, é preciso que um juiz tenha dado uma sentença que obrigue o pagamento da pensão e das despesas, ou seguir o acordo da escritura pública.

Um pai que paga as despesas para o filho sem que o juiz tenha dado a sentença ou sem que haja uma escritura pública não poderá abater estes valores na declaração.

Outro ponto importante: no caso do alimentando, mesmo se a sentença obrigar o contribuinte a pagar aluguéis, condomínio, transporte ou previdência privada, estes gastos não são dedutíveis.

Dependente e alimentando ao mesmo tempo?

É possível ser dependente e alimentando ao mesmo tempo em apenas uma situação: no ano em que a sentença de pensão alimentícia judicial foi dada.

Por exemplo: o filho era dependente do pai até março. Em abril, sai a sentença que manda o pai pagar a pensão alimentícia para o filho. A partir de abril, o filho torna-se alimentando.

Veja como declarar

O dependente deve ser identificado na ficha "Dependentes". O alimentando deve ser incluído na ficha "Alimentandos".

Quando o contribuinte for deduzir alguma despesa de qualquer um deles, deverá identificar na própria ficha, clicando no ícone correspondente.

Ou seja, se for informar uma despesa com instrução, deverá selecionar a ficha "Pagamentos Efetuados" e clicar em uma das três opções: despesa realizada com titular, dependente ou alimentando.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Bolsonaro diz que vai insistir para aumentar isenção no Imposto de Renda

UOL Notícias

Imposto de renda