PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

FAQ


Dá para ganhar dinheiro apostando na queda de ações da Bolsa; veja dicas

Veja como ganhar dinheiro com a queda de ações na Bolsa de Valores - Cris Fraga/Estadão Conteúdo
Veja como ganhar dinheiro com a queda de ações na Bolsa de Valores Imagem: Cris Fraga/Estadão Conteúdo
Conteúdo exclusivo para assinantes

Bruno Thadeu

Colaboração para UOL Economia+

18/05/2021 16h03Atualizada em 12/07/2021 18h43

Tem um ditado no mercado financeiro que diz: "preço sobe de escada e cai de elevador". Se as quedas são tão frequentes e fortes na Bolsa, por que não aproveitá-las para fazer dinheiro? Muitos não sabem, mas é possível lucrar com a queda de um papel no Ibovespa - essa ação, contudo, tem riscos enormes de prejuízo.

No mercado de renda variável, a operação que visa rentabilizar na descida é conhecida como "entrar vendido''. É possível entrar vendido no pregão com ação, opção, índice ou mercado futuro.

O UOL Economia+ explica como ganhar com a desvalorização e quais técnicas podem ser usadas para prever as quedas.

Como operar vendido na Bolsa de Valores

Como funciona a operação para ganhar com a queda da bolsa?

Todos conhecem uma operação de compra e venda. É aquela que você compra uma ação a R$ 10, por exemplo, e vende por R$ 16. Lucro de R$ 6. Até aí tudo ok. Mas na Bolsa você também pode ganhar investindo na direção oposta.

Ou seja: em uma operação de "venda e compra". Você começa a operação vendido no papel. Pode soar estranho de início, mas você verá que não é complicado.

EXEMPLO 1

Você entra (vendido) em um ativo que custa R$ 16 e finaliza a operação (neste caso, compra) quando o preço do ativo cair para R$ 10. Temos, portanto, o seguinte cálculo: 16 -10. Lucro de R$ 6!

Neste exemplo acima, você entrou vendido (e não comprado).

EXEMPLO 2

Agora um exemplo que aconteceu no começo de 2020. O primeiro trimestre deste ano foi marcado por uma grave crise econômica mundial em virtude do coronavírus. As bolsas de todo o mundo sofreram perdas homéricas em razão da pandemia.

Para se ter uma ideia, a ação da Petrobras custava R$ 29,14 no dia 21 de fevereiro de 2020, quando ninguém no Brasil tinha morrido em decorrência do coronavírus.

Quase um mês depois, no dia 18 de março, quando a COVID-19 tinha vitimado duas pessoas no país, o preço da petroleira desbarrancou para R$ 11,29. Desvalorização de 61%.

Suponhamos que você tivesse entrado vendido com 100 ações da Petrobras por R$ 29,14 e comprado, no dia 18 de março, 100 ações por R$ 11,29. O cálculo seria feito da seguinte forma: R$ 2.914 - R$ 1.129 = R$ 1.785. Seu lucro seria de R$ 1.785,00.

Qual a diferença entre operar vendido e comprado?

Ao comprar uma ação, você está adquirindo um bem. Você passa a ser dono dela e se torna um acionista.

Agora quando você entra vendido, você pega "emprestado" o ativo. O ativo não é seu. Alguém aluga o papel para você conseguir operar.

A pessoa que aluga é conhecida como "doadora". Você será um "tomador" do papel.

Como faço para lucrar na queda?

Abaixo está um passo a passo, com dicas, de como funciona uma operação para quem entra vendido. Esse tipo de operação também é conhecida como venda descoberta:

Operação bem sucedida em 5 passos

  1. Você pega as ações por aluguel. Você, portanto, é o "tomador" e quem alugou para você é o "doador";
  2. Você vende no mercado essas ações que não são suas;
  3. Você compra ações por um preço menor em relação às ações que você havia pegado alugado;
  4. Você entrega as ações para o "doador" (que não são as mesmas que você pegou alugado);
  5. Você embolsa a diferença.

Operação mal sucedida em 5 passos

  1. Você pega as ações por aluguel. Você, portanto, é o "tomador" e quem alugou para você é o "doador";
  2. Você vende no mercado essas ações que não são suas;
  3. Você compra ações por um preço maior em relação às ações que você havia pegado alugado;
  4. Você entrega as ações para o "doador" (que não são as mesmas que você pegou alugado);
  5. Você tem que colocar recursos próprios para cobrir a diferença

Conclusão: o valor da compra a ser feita no mercado (descrito no 3º passo) determinará o seu lucro ou prejuízo.

Como faço para entrar vendido?

Para operar vendido é necessário ter o valor equivalente na sua carteira de investimentos e mais 20% do valor (que serão usados como garantia).

Exemplo: se você entrar vendido com 100 unidades de uma ação A que custa R$ 10, o total é de R$ 1.000. Você terá de possuir pelo menos 120% na sua conta da corretora (R$ 1.200).

A quantia de R$ 1.200 ficará retida enquanto a operação transcorrer e será utilizada como margem em caso de prejuízo. Seria uma espécie de caução em caso de operação que deu negativo.

Quando a operação for bem sucedida, a garantia não será utilizada. O valor usado como margem será devolvido para a conta.

Existem diferenças quando um investidor entra vendido em uma operação day trade ou quando essa operação dura mais que um dia.

Operação day trade (que começa e termina no mesmo dia)

  • Basta enviar uma ordem de venda para a Bolsa mesmo sem ter o ativo. Não é preciso nem alugar o ativo.

Como é uma operação day trade, você terá de comprar, no mesmo dia, a quantidade adquirida no início para finalizar a operação.

Operação que dura mais de um dia:

  • É necessário alugar o ativo de alguém para entrar vendido.

Você terá de pagar uma taxa para o dono dos ativos.

Qual o risco de entrar vendido?

Essa pergunta é muito importante, já que o prejuízo para quem entra vendido é ilimitado. Infinito.

Por essa razão, é recomendado que esse tipo de operação seja feita por investidores com conhecimento de mercado financeiro.

Veja o exemplo para entender o risco:

Imagine que você entrou vendido em uma ação custando R$ 10. Você pegou 100 unidades. Portanto, você entrou na operação com R$ 1.000.

O máximo que você ganhará nesta operação é algo bem próximo de R$ 1.000 (descontando as taxas), que é o caso dessa ação zerar. Mas o seu prejuízo pode ser infinito porque a ação pode subir como um foguete.

Imagine que a ação suba para R$ 100. Se você entrou com 100 unidades, o valor atual é de R$ 10.000.

Caso você compre e finalize a operação com a ação custando R$ 100, seu prejuízo será de R$ 9 mil (10.000 - 1.000).

Economista e professora de economia da PUC-SP, Ana Hutz alerta para sair da operação antes que o prejuízo se torne muito alto.

"A pessoa deve sempre usar trava na operação para limitar seu prejuízo, ainda mais quando não há limite de prejuízo para quem entra vendido. Ao limitar o prejuízo, o investidor evita que a emoção interfira na razão, algo comum quando se tem dinheiro em jogo", diz.

Qual o custo para entrar vendido?

Para entrar em uma operação projetando a queda, é preciso alugar o ativo (se não for day trade). O custo depende do acerto com o dono do ativo (doador). Geralmente é cobrada uma taxa que pode variar de 1% a 5% do valor total do ativo.

Será levado em conta também o tempo em que o ativo estiver alugado. Quanto mais tempo alugado, maior o custo do aluguel..

Exemplo: você quer alugar 1.000 ações da Vale que tem preço de R$ 97 cada. A taxa cobrada é de 2% ao ano.

O cálculo seria:

R$ 97 x 1.000 ações = R$ 97.000;

2% de R$ 97.000 = R$ 1.940.

Custo do aluguel: R$ 1.940,00 por ano

"Quem for alugar ações é muito importante observar as taxas oferecidas. Veja se esse papel tem boa liquidez. Outra coisa: faça uma boa análise do mercado e veja se vale à pena entrar vendido, pois o risco é infinito", pondera o analista Rafael Ribeiro, da Clear Corretora.

Dicas para ganhar com a queda da ação

Tem aquela máxima que diz que a Bolsa "cresce no boato e cai no fato". Alguns acontecimentos que podem impactar, e derrubar, os ativos da Bolsa:

  • Grandes crises econômicas (exemplos: coronavírus, subprime)
  • Balanços de empresas que ficam abaixo do esperado
  • Acordos comerciais que não vingam entre países (brigas diplomáticas)
  • Medidas fiscais do governo
  • Queda de ministros ou de presidentes de empresas/estatais
  • Notícias que acabam sendo confirmadas como boatos
  • Desastres ambientais (Brumadinho).

"É importante ficar ligado em notícias que impactam bastante na economia, sobretudo assuntos políticos. Quem investe na Bolsa tem que acompanhar o noticiário, seja pela TV ou pela internet. Decisões internacionais podem impactar no mercado daqui", aconselha Renata Lima, gerente de plataforma de renda variável da Órama Investimentos.

Imagine quem conseguiu prever o colapso na economia dos EUA em 2008, que ficou conhecido como subprime.

O filme "A Grande Aposta" narra um grupo de investidores que ganhou bilhões antevendo uma das maiores crises da história do mercado financeiro norte-americano.

A trama é uma ficção, mas retrata bem os dois lados da moeda: os que enriqueceram e os que faliram com a bolha imobiliária (subprime)

Gráfico ajuda a identificar quedas da Bolsa

A análise de gráficos de ações da Bolsa de Valores pode indicar se um ativo está em tendência de queda ou alta. Abaixo, veja os principais - aqui damos a explicação de como ler cada um deles:

  • IFR (Índice de Força Relativa):
  • Suporte e Resistência
  • Média Móvel

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.