PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Resultados fustrantes derrubam ações do Facebook; leia análise

Dado Ruvic/Reuters
Imagem: Dado Ruvic/Reuters
Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

04/02/2022 09h25

Esta é a versão online para a edição de hoje da newsletter Por Dentro da Bolsa. Para assinar este e outros boletins e recebê-los diretamente no seu email, cadastre-se aqui.

Hoje comentaremos os resultados do Facebook no último trimestre de 2021 e falaremos sobre as consequências desse balanço para a empresa neste cenário atual.

Confira a seguir o comentário de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento, sobre essas movimentações. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e avaliações de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimento. Este conteúdo é acessível para os assinantes do UOL. O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Facebook divulga resultados frustrantes

Denominado Meta, o Facebook apresentou seus resultados do quarto trimestre de 2021 nesta semana. Os números da companhia não foram tão empolgantes, o que penalizou suas ações, que caíram mais de 20% nas negociações após o fechamento de mercado da quinta-feira (3).

Em suma, podemos dizer que os números vieram regulares, com receita levemente acima do esperado. Por outro lado, as margens e o lucro líquido vieram abaixo das expectativas, sem mencionar as pouco animadoras projeções para 2022.

Um ponto importante observado nos resultados faz referência ao número de usuários ativos diários, que na comparação do quarto trimestre com o trimestre imediatamente anterior apresentaram recuo, o primeiro já registrado. Neste sentido, a empresa projeta aumento de concorrência, com o TikTok caindo cada vez mais no gosto das pessoas, por exemplo.

Além disso, a empresa, que mudou seu nome para Meta no ano passado e que mudará seu código de ações para META neste semestre, está cada vez mais dedicada em explorar e investir no metaverso (ambiente virtual imersivo que tenta replicar a realidade com dispositivos digitais).

A linha recém-apartada de receita chamada Reality Labs (produtos de hardware e software para realidade aumentada e virtual) tem demonstrado que a separação foi acertada, crescendo 57%. A base de usuários ativos também cresceu. Essa área agrupa os investimentos da empresa no metaverso e na realidade virtual. Contudo, essa é uma linha recente, que ainda se depara com um longo caminho de desempenho e desenvolvimento para ter os atuais investimentos justificados. Tal aspecto pode levantar certo receio em meio aos investidores.

Por fim, além de todos esses fatores citados e explicados acima, outro ponto que devemos observar de perto é o desempenho das ações ligadas à tecnologia em meio ao movimento de aumento de juros nos Estados Unidos. Isto pode ser explicado pelo fato de que as empresas techs costumam atuar de forma mais alavancada (em outras palavras, uma empresa mais endividada) para financiar o rápido crescimento. Neste sentido, dependendo do caso, são consideradas empresas em risco financeiro, com algumas não apresentando lucro e com piora nos resultados operacionais em épocas de juros altos.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo estrategista-chefe e sócio-fundador Rafael Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.