PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Bolsas sobem e petróleo recua após sanções dos EUA à Rússia

Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

23/02/2022 09h22

Esta é a versão online para a edição de hoje da newsletter Por Dentro da Bolsa. Para assinar este e outros boletins e recebê-los diretamente no seu email, cadastre-se aqui.

Após o reconhecimento da independência das regiões de Donetsk e Luhansk pela Rússia, o presidente russo Vladimir Putin anunciou o envio de tropas em direção a esses territórios, localizados no leste da Ucrânia, e após semanas de tensão na fronteira, deu início a uma invasão ao país vizinho.

Em seu discurso reconhecendo a independência dos territórios, Putin adotou um tom duro, dizendo que a Ucrânia nunca teve "uma tradição consistente de ser uma nação de verdade", e chamando o país de marionete dos Estados Unidos.

Diante da iminência de um conflito armado no leste europeu, as Bolsas de Valores dos EUA e da Europa foram tomadas por um clima de aversão ao risco, que levou os investidores a venderem um volume expressivo de ações. Além disso, os preços do barril de petróleo dispararam no mercado internacional.

Entretanto, após o discurso do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, durante o qual o líder norte-americano anunciou sanções a bancos e à dívida soberana da Rússia, as Bolsas começaram a reduzir as perdas, enquanto o petróleo perdeu força.

O motivo para esse movimento é muito simples: apesar do tom duro, as sanções anunciadas por Biden foram mais fracas do que o esperado.

Entretanto, é preciso não transformar o alívio com medidas mais conciliadoras do que combativas em euforia, uma vez que os EUA e seus aliados ainda dispõem de medidas mais agressivas que podem - e devem - ser anunciadas caso a Rússia siga avançando em território ucraniano.

O presidente dos EUA disse ainda que tem motivos para acreditar que o exército russo não deve limitar suas atividades às regiões separatistas reconhecidas por Putin, e teme um maciço ataque militar contra a Ucrânia. Portanto, é preciso seguir monitorando essa complexa dança geopolítica, que até o presente momento parece seguir o ritmo ditado pelo imprevisível Vladimir Putin.

Leia no 'Investigando o Mercado' (exclusivo para assinantes do UOL Economia Investimentos): informações sobre os resultados da rede de atacarejo Assaí.

Um abraço,

Felipe Bevilacqua

Analista certificado e sócio-fundador da Levante
CNPI - Analista certificado pela Apimec
Gestor CGA - Gestor de Fundos certificado pela Anbima
Administrador de Recursos e Gestor autorizado pela CVM

Queremos ouvir você

Tem alguma dúvida ou sugestão sobre investimentos? Mande sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo estrategista-chefe e sócio-fundador Rafael Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.