Só para assinantesAssine UOL

Banco do Brasil (BBSA3), Taesa (TAEE11) e Americanas (AMER3) agitam o mercado nesta quinta-feira; veja mais destaques

Em semana de balanços, o lucro líquido de R$ 8,8 bilhões registrado pelo Banco do Brasil (BBSA3) no terceiro trimestre (3T23) está entre os destaques desta quinta-feira (09).

Também está entre os destaques do mercado financeiro a Taesa (TAEE11), após anotar  um lucro líquido de R$ 278,9 milhões no trimestre.

A Americanas (AMER3) também é destaque hoje, depois de decisão inédita da B3 retirando a companhia de Novo Mercado. 

Veja os destaques do mercado financeiro hoje:

Banco do Brasil 

O Banco do Brasil (BBAS3) anunciou um lucro líquido ajustado de R$ 8,8 bilhões no terceiro trimestre de 2023. Na comparação com o mesmo período do ano passado (3T22), esse valor representa um aumento de 4,5%.

Taesa 

A transmissora de energia Taesa (TAEE11) reportou lucro líquido de R$ 278,9 milhões no trimestre, redução de 7,8%, pelo critério contábil IFRS. Considerado os nove primeiros meses de 2023, o lucro da empresa atingiu R$ 886,1 milhões, redução de 37,9% em base anual de comparação.

Americanas

A B3 suspendeu o uso do selo de Novo Mercado pela Americanas (AMER3) e multou 22 pessoas físicas ligadas à sua administração, após concluir um processo de enforcement aberto em março. Os executivos serão multados em valores entre R$ 263 mil e R$ 395 mil.

Continua após a publicidade

Casas Bahia

O Grupo Casas Bahia (BHIA3), antiga Via, registrou no terceiro trimestre de 2023 um prejuízo 311% maior que no mesmo período do ano passado e fechou em R$ 836 milhões. É o quinto trimestre consecutivo que os resultados líquidos da empresa são negativos. O último em que registrou lucro foi no segundo trimestre de 2022, de R$ 16 milhões.

3R Petroleum

A 3R Petroleum (RRRP3) registrou prejuízo de R$ 77,453 milhões no terceiro trimestre do ano, revertendo os lucros do trimestre anterior (R$ 79,39 milhões) e do mesmo período de 2022 (R$ 469,77 milhões).

Copel

A Companhia Paranaense de Energia - Copel (CPLE6) - obteve lucro líquido de R$ 441,2 milhões no terceiro trimestre de 2023. O lucro líquido da Copel no 3T23 foi, portanto, 16,6% maior do que o lucro de R$ 378,4 milhões registrado em igual período de 2022 (3T22).

Continua após a publicidade

Caixa Seguridade

A Caixa Seguridade (CXSE3), holding de seguros, previdência privada e capitalização da Caixa Econômica Federal (CEF), encerrou o terceiro trimestre deste ano com lucro líquido recorrente de R$ 916,6 milhões, crescimento de 19,6% em um ano e de 11,4% na comparação com o 2T23. Segundo a companhia, a cifra representa o maior lucro trimestral recorrente da história.

Braskem

A Braskem (BRKM5) anotou prejuízo líquido de R$ 2,418 bilhões no terceiro trimestre de 2023 (3T23), cifra 119% maior do que o prejuízo líquido de R$ 1,103 bilhão registrado no mesmo período do ano anterior.

Oi

A Oi (OIBR3), em recuperação judicial, apresentou prejuízo líquido de R$ 2,830 bilhões no terceiro trimestre de 2023. A perda foi 12,7% menor que no mesmo intervalo de 2022. 

Continua após a publicidade

O Ebitda da Oi (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) de rotina ficou negativo em R$ 330 milhões, enquanto um ano antes foi positivo em R$ 167 milhões.

Ultrapar 

A Ultrapar (UGPA3) registrou lucro líquido de R$ 891 milhões no terceiro trimestre de 2023, alta de 973,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando ficou em R$ 83 milhões.

Rede D'Or

A Rede D'Or (RDOR3) divulgou resultados, com lucro de R$ 760 milhões.Com isso, o lucro da Rede D'Or sobe 75% em relação ao trimestre anterior e uma notável alta de 91,8% na comparação anual, de acordo com o balanço publicado recentemente.

Vivara

A Vivara (VIVA3) reportou lucro líquido de R$ 76,5 milhões no terceiro trimestre de 2023 (3T23), montante 12,3% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022. 

Continua após a publicidade

Minerva

A Minerva (BEEF3) registrou no terceiro trimestre um lucro líquido de R$ 141 milhões, queda de 0,3% ante mesmo período de 2022.

Equatorial 

A Equatorial (EQTL3) reportou lucro líquido ajustado de R$ 851 milhões no terceiro trimestre de 2023 (3T23), alta de 25,5% frente ao mesmo intervalo de 2022. 

Cogna 

A Cogna (COGN3) divulgou um prejuízo líquido ajustado de R$ 44,056 milhões no terceiro trimestre de 2023, queda de 70,1% frente o prejuízo ajustado de R$ 147,472 milhões. 

Continua após a publicidade

Hapvida 

A Hapvida (HAPV3) reportou lucro líquido ajustado de R$ 261,1 milhões no 3T23, montante 61,5% abaixo do reportado no mesmo intervalo de 2022. 

Grupo Mateus 

O Grupo Mateus (GMAT3),registrou um lucro líquido de R$ 314 milhões no terceiro trimestre de 2023, alta de 7,8% comparado ao mesmo período do ano passado.

Sanepar

A Sanepar (SAPR11) registrou aumento de 44,3% no lucro líquido no terceiro trimestre de 2023 em relação a igual período do ano passado, subindo de R$ 274,9 milhões para R$ 396,8 milhões.

Continua após a publicidade

Neoenergia 

A Neoenergia (NEOE3) informou que ocorreu o fechamento do contrato vinculante , firmado por meio de sua afiliada, Geração CIII, conjuntamente com a Comerc Participações, também por meio de sua afiliada, Mori. 

Com o fechamento do Contrato, a GCIII e Mori se tornaram acionistas, cada uma com 50% de participação, da Joint Venture, que funcionará como veículo para desenvolvimento e operação de projetos de usinas fotovoltaicas voltadas para geração distribuída, com um investimento total estimado em até aproximadamente R$ 500 milhões. 

RD 

A RD (RADL3) revisou a projeção de abertura de lojas .A projeção anterior, de 260 aberturas brutas para os exercícios de 2023, 2024 e 2025, foi revisada para: 270 aberturas brutas para o exercício de 2023; além de 280 e 300 aberturas brutas por ano para os exercícios de 2024 e 2025.

Os destaques do mercado financeiro do Suno Notícias mostram os principais acontecimentos que prometem movimentar o mercado durante o dia, como o Banco do Brasil (BBAS3), que deve estar no foco dos investidores ao longo do dia.

Este material foi elaborado exclusivamente pelo Suno Notícias (sem nenhuma participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo nenhum tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco. Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora