IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Petrobras (PETR4), PetroRio (PRIO3) e EDP Brasil (ENBR3) divulgam resultados do 4T22: veja a agenda da semana

26/02/2023 11h39

Durante essa semana, entre os dias 27 de fevereiro e 3 de março de 2023, quinze empresas devem divulgar seus resultados do 4T22. Alguns dos destaques são Petrobras (PETR4), PetroRio (PRIO3), EDP Brasil (ENBR3).

Os resultados de empresas do 4T22 podem ser anunciados antes, durante ou depois do final da sessão, por meio de documentos arquivados no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), na categoria "Dados Econômico-Financeiros".

Vale destacar que a agenda de balanços de empresas no 4T22 ainda pode ter mudanças ao longo do curso. Quaisquer alterações de calendário também serão divulgadas no portal de Relação com Investidores (RI) das companhias.

Depois da divulgação de resultados do 4T22, as empresas realizam conferências sobre seus balanços financeiros, que geralmente ocorrem um dia depois do anúncio do resultado trimestral de cada companhia.

Veja o calendário desta semana:

A segunda-feira (27) começa com o resultado da EDP Brasil:

  • AES Brasil (AESB3) – Após o fechamento da B3
  • EDP Brasil (ENBR3) – Após o fechamento da B3

Terça-feira (28) é a vez da divulgação do resultado da Marcopolo:

  • Cosan (CSAN3) – Após o fechamento da B3
  • Marcopolo (POMO4) – Antes da abertura da B3
  • Randon (RAPT4) – Após o fechamento da B3
  • SulAmérica (SULA11) – Não divulgado

Quarta-feira (1) será anunciado o resultado de PetroRio e Petrobras:

  • C&A (CEAB3) – Após o fechamento da B3
  • Gerdau (GGBR4) – Antes da abertura da B3
  • Metalúrgica Gerdau (GOAU4) – Antes da abertura da B3
  • Marfrig (MRFG3) – Após o fechamento da B3
  • Petrobras (PETR4) – Não divulgado
  • PetroRio (PRIO3) – Após o fechamento da B3

O resultado da Ambev será divulgado na quinta-feira (2):

  • Ambev (ABEV3) – Antes da abertura da B3
  • Alupar (ALUP11) – Após o fechamento da B3
  • Grendene (GRND3) – Após o fechamento da B3

Perspectivas para o resultado da Petrobras

As projeções do BTG Pactual (BPAC11) apontam para uma leve baixa do Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortizaçã) de exploração e produção (E&P) da Petrobras, em razão dos preços mais baixos do petróleo (-10% t/t).

Além disso, também se considera os fatores de produção estável e custos de extração de US$ 7,3/bbl para esta estimativa.

"Em base consolidada, modelamos R$ 160 bilhões de receita líquida (US$ 30 bilhões), R$ 92 bilhões de Ebitda (US$ 17,5 bilhões) e um lucro líquido de R$ 52 bilhões (US$ 10 bilhões) - ante R$ 46,096 bilhões no terceiro trimestre de 2022 (3T22). Por fim, esperamos que a alavancagem caia 0,1x t/t, refletindo em R$ 42,6 bilhões (US$ 8 bilhões) de pré-dividendos FCFE (fluxo de caixa livre para o acionista)", dizem os analistas Pedro Soares e Thiago Duarte, do BTG Pactual.

Ainda sobre as perspectivas para o resultado da Petrobras no 4T22, os analistas da XP André Vidal, Guilherme Nippes e Helena Kelm projetam um Ebitda ajustado de US$ 16,4 bilhões (-6% T/T) para a petroleira.

Além disso, estimaram que os dividendos da Petrobras devem ficar em cerca de US$ 4,5 bilhões, número um pouco inferior à estimativa do BTG, que é de US$ 5,6 bilhões.

"Nosso cenário base é que os dividendos relativos ao 4T22 serão calculados com base na fórmula 60% (FCO - Capex), embora houvesse espaço para mais. A empresa deve encerrar o ano abaixo da meta de dívida bruta de US$ 60/65 bilhões", dizem os analistas da XP.

Assim, da EDP Brasil à PetroRio e Petrobras, esses serão os resultados do 4T22 que serão divulgados nesta semana.