IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Desoneração de combustíveis impactará dividendos da Petrobras (PETR4)? Entenda o que está em jogo

27/02/2023 12h49

Nos últimos dias a Petrobras (PETR4) tem se reunido com a base do governo para definir a nova política de preços. Junto a isso, a desoneração dos combustíveis vence amanhã (28) e será o presidente Luiz Inácio Lula da Silva quem dará a palavra final sobre o tema. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, que participa das reuniões, afirma que a definição deve ocorrer ainda nesta segunda.

Enquanto o martelo não é batido, o mercado tem buscado entender quais poderão ser os caminhos adotados. Especula-se que o governo poderá adotar uma reoneração gradual dos combustíveis, porém informações do Valor Econômico apontam como possibilidade também subsídios bancados pela estatal. Caso ocorra, isso poderá afetar o lucro da Petrobras e a remuneração aos acionistas.

“Se a decisão do governo for pela redução do patamar de dividendos a serem distribuídas pela Petrobras, para aquém dos R$ 30 bilhões, em função de subsídios a serem bancados pela empresa, a União também perde. O cálculo é que o volume a ser distribuído para a União fique entre R$ 8 bilhões e R$ 10 bilhões”, escreve a jornalista Maria Cristina Fernandes.

Mas é importante lembrar que enquanto uma ala governista defende a manutenção da desoneração dos combustíveis, Haddad é defensor da reoneração. O ministro alega questões ambientais e jurídicas, bem como uma maior contribuição fiscal à União.

Segundo Haddad, a equipe econômica ainda se reunirá com o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, antes de voltar a se encontrar com Lula, o que deve ocorrer no fim da tarde desta segunda-feira.

A Medida Provisória (MP) editada no início do ano havia já sido uma sugestão da equipe econômica anterior liderada por Paulo Guedes. Haddad, no entanto, declinou, mas teve que voltar atrás por causa da decisão de Lula de manter o subsídio com argumentos da ala política.

Além da tributação, o governo também discute possíveis alterações na política de preços da Petrobras, medida vista como alternativa para evitar que contribuintes tenham que pagar mais caro para abastecer seus veículos.

Cotação da Petrobras

Nesta segunda-feira (27), as ações preferenciais e ordinárias da Petrobras operam em baixa de 2,5% e 2,37%, cotadas a R$ 26,62 e R$ 30,29, respectivamente. No acumulado dos últimos 12 meses, os papéis da petroleira tiveram uma valorização de 30,89%.