Só para assinantesAssine UOL

Ação da Sabesp cai depois de aprovada privatização: ainda vale comprar?

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou na noite de quarta-feira (6) a privatização da companhia de água e esgoto do estado, a Sabesp (SBSP3). Essa é uma notícia que o mercado vinha esperando já há alguns anos. Ação da empresa subiu 24,13% este ano.

Ainda vale comprar a ação?

Tanto é que, só este ano, a ação da empresa subiu 24,13%, segundo a Economatica. Nesta quinta-feira (7), primeiro pregão após a aprovação, muitos investidores aproveitam o fato para vender a ação e colocar os ganhos acumulados no bolso. É o que diz Leonardo Piovesan, analista da Quantzed. Por isso, o ativo tinha, por volta das 13h, queda de 1,57%, para R$ 67,91.

Na opinião de Piovesan, a maior alta da ação já passou. Aconteceu nos últimos 30 dias, quando o papel subiu 14,85% (entre 25 de outubro e 6 de dezembro, segundo a Economatica). "Outras etapas do processo de privatização são esperadas para os próximos meses. Nesse contexto, algum sobe-e-desce para as ações não está descartado", explica Victor Martins, analista sênior da Planner Investimentos.

Mas o papel pode ainda ser uma boa compra. Principalmente para quem quer investir e ter retorno no longo prazo. "Olhando o horizonte de 12 meses, temos uma visão positiva para o papel", diz Martins. Isso porque a empresa, segundo ele, após privatizada deve cortar custos e ficar mais eficiente. É o que diz também Fernando Bresciani, analista de investimentos do Andbank.

Após privatizadas, as estatais tendem a ser mais enxutas, diz o analista. Isso, no longo prazo, pode trazer mais eficiência e garante mais lucro para os acionistas.

A Genial recomenda a compra da ação. "Com a recente performance, a ação acabou por ultrapassar nosso preço-alvo. Entretanto, o papel deveria valer pelo menos R$ 79 caso negociasse em linha ao seu valor patrimonial", publicou a empresa, em relatório.

Para a XP, também é boa compra. O potencial de valorização em 12 meses é de 17,65 %, o que levaria o ativo a custar
R$ 80.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes