Só para assinantesAssine UOL

Com Selic a 11,75%, quanto rendem R$ 1.000 na poupança, no Tesouro e em CDB

A taxa básica de juros caiu 0,5 ponto porcentual na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que se encerrou hoje, 13. Agora, a Selic está em 11,75% ao ano. Veja qual é o impacto do corte nos investimentos de renda fixa e também qual será o rendimento em aportes nos principais produtos financeiros como poupança, CDB e Tesouro Selic.

Rentabilidade menos atrativa, mas ainda alta

Investimentos em renda fixa vão render menos após o corte nos juros. Mas há investimentos que continuam chamando a atenção dentro da renda fixa, como os títulos do Tesouro Nacional, especialmente os atrelados à inflação, diz Felipe Spritzer, especialista em finanças e CEO da Portfel, consultoria financeira.

Caderneta de poupança não vale a pena pelo rendimento. Mesmo sendo popular, perde para a maioria dos ativos. A poupança rende 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial (TR), que está acima de zero. Porém, o retorno só acontece quando a Selic está acima de 8,5%, como é o caso. Se estiver abaixo desse patamar, rende 70% da Selic mais a TR.

CDI deixa de ter mais protagonismo na carteira do investidor. O CDI é uma taxa cobrada em operações entre bancos que acompanha a Selic, a guia o rendimento de alguns investimentos da renda fixa. Se o índice cai, as aplicações como CDBs e fundos DI tendem a cair também.

Tesouro Selic ainda é o com melhor rentabilidade bruta. Mas, ao descontar inflação e imposto, não passa de 10% ao ano. Isso quer dizer que as opções atreladas à taxa de juros diminuem, como é o caso dos títulos públicos do Tesouro Direto.

O correto é criar um bom plano de investimentos e seguir com ele ao longo da vida, sem tentar acertar o momento certo de entrar ou sair, pois isso tende a piorar bastante os resultados.
Felipe Spritzer, especialista em finanças e CEO da Portfel, consultoria financeira

Quanto rendem R$ 1.000 com a Selic a 11,75% ao ano

Veja a seguir quanto rendem R$ 1.000 nas principais aplicações de renda fixa no período de um ano. O cálculo foi feito pela plataforma Yubb e considerando a taxa Selic fixa em 11,75%. CDBs de bancos diferentes têm rendimentos distintos. A simulação apresenta CDBs de bancos grandes e médios.

Simulação incluiu a taxa de 20% de Imposto de Renda (IR) nos investimentos tributados (Tesouro Selic e CDBs). A taxa é paga nos resgates feitos entre 181 e 360 dias. Se o resgate for feito depois de um ano, o IR é de 17,5%. Já se for feito em até seis meses, a alíquota sobe para 22,5%. A poupança é isenta de imposto.

Continua após a publicidade

Quanto rendem R$ 1.000 em um ano, já com desconto do IR?

  • Poupança: R$ 81,80 (8,18%)
  • Tesouro Selic: R$ 93,20 (9,32%)
  • CDB: Entre R$ 69,90 e R$ 107,18 dependendo do banco (de 6,99% a 10,72% )

Quanto o investidor poderá sacar em um ano:

  • Poupança: R$ 1.081,80
  • Tesouro Selic: R$ 1.093,20
  • CDB: Entre R$ 1.069,90 e R$ 1.107,18

Qual o ganho real, descontada a inflação?

Inflação precisa ser considerada. Por isso, é importante ficar de olho neste índice para que o dinheiro tenha o mesmo poder de compra que tem hoje em dia. Previsão para 2023 é que a inflação feche em 4,51%. E para 2024, a previsão é de 3,93%. O dado é do Boletim Focus publicado pelo Banco Central no dia 11 de dezembro. A estimativa para o próximo ano foi usada para calcular o rendimento real das aplicações descontada a inflação, levando em consideração qual seria o poder de compra hoje.

Continua após a publicidade

Economia pode ser menos pressionada com queda dos juros. Ao mesmo tempo que a economia reage bem aos cortes na Selic, não houve um aumento significativo da inflação. O que permite uma melhora na consistência dos prêmios entregues pela renda variável, com as empresas se beneficiando de melhores condições econômicas, explica Spritzer.

O consumo tende a aumentar, o custo de capital fica mais baixo e as perspectivas de lucro melhoram. Tudo isso impacta positivamente o preço das dívidas de empresas, gerando retornos mais altos para quem investe.
Felipe Spritzer

Qual o rendimento real de R$ 1.000 em um ano, descontando a inflação e o Imposto de Renda

  • Poupança: R$ 40,89 (4,09%)
  • Tesouro Selic: R$ 51,86 (5,19%)
  • CDB: Entre R$ 29,44 e R$ 65,31 dependendo do banco (de 2,94% a 6,53%)

Qual será o poder de compra do investidor, descontando a inflação e o Imposto de Renda:

  • Poupança: R$ 1.040,89
  • Tesouro Selic: R$ 1.051,86
  • CDB: Entre R$ 1.029,44 e 1.065,31

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes