PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Trump avalia destituir presidente do Fed, segundo imprensa

23/12/2018 08h04

Washington, 23 dez 2018 (AFP) - Donald Trump teria conversado em caráter privado sobre a possibilidade de destituir o presidente do Banco Central, incomodado com a decisão tomada pela instituição na quarta-feira de elevar as taxas de juros, reportaram neste sábado (22) dois veículos de comunicação, citando fontes próximas ao presidente americano.

Procurado pela AFP, o Federal Reserve (Fed, BC americano) não estava imediatamente disponível para comentar esta informação e esclarecer se uma decisão neste sentido teria sustentação jurídica.

A emissora de notícias CNN, citando pessoas informadas sobre estas discussões, informou que Trump já começou a sondar com seus assessores a legalidade da medida, que sem dúvidas provocaria distúrbios nos mercados de todo o mundo.

Mas em uma série de tuites, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, destacou que conversou com o presidente republicano, que teria afirmado: "Estou em total divergência com a política do Fed. Acredito que aumentar as taxas de juros (...) é uma coisa absolutamente terrível para fazer neste momento, especialmente à luz das importantes negociações comerciais que estão em curso, mas nunca sugeri destituir o presidente Jay Powell e não acredito que tenha o direito de fazê-lo".

Wall Street registrou esta semana sua pior queda semanal desde 2008, provocada especialmente pela elevação das taxas de juros, a ameaça de uma paralisação do governo em Washington - o que se concretizou parcialmente neste sábado e se estenderá até o Natal -, a guerra comercial e a perspectiva de uma desaceleração econômica nos Estados Unidos.

Trump tem criticado constantemente o Fed, distanciando-se da reserva habitual dos presidentes de não comentar as decisões da instituição com a finalidade de respeitar sua independência.

Esta semana, o presidente afirmou que se o Banco Central aumentasse as taxas, seria um erro. Mas o comitê monetário do Fed ignorou a pressão e as advertências do presidente.

Uma tentativa de terminar o mandato de Jerome Powell seria algo inédito e significaria um ataque direto à independência do poderoso Federal Reserve, que desempenha um papel importante na maior economia do mundo.