PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Americanos divididos quanto à confiabilidade dos 'fact-checkers'

27/06/2019 15h10

Washington, 27 Jun 2019 (AFP) - Os americanos estão divididos sobre a confiabilidade dos verificadores de notícias dos meios de comunicação, revelou uma pesquisa nesta quinta-feira.

Aqueles que se identificam como republicanos, em particular, são os que mais desconfiam dos responsáveis pela checagem de dados ('fact-checkers'), segundo o estudo realizado pelo The Pew Research Center.

Entre os pesquisados, 50% disseram que os encarregados de verificar tratavam de forma justa todas as partes, enquanto 48% disseram que favoreciam um lado em particular.

A investigação revelou uma marcada diferença de opinião entre aqueles que se identificam como democratas e os que se consideram republicanos.

Entre os últimos, 70% disseram que não confiavam nos verificadores de informação. Pelo contrário, 69% dos democratas responderam que confiavam no trabalho dos 'fact-checkers'.

"Os republicanos parecem ter sérias preocupações sobre a imparcialidade desses grupos. Os democratas, por outro lado, acreditam que atuam de forma justa para todas partes", apontou o relatório de Mason Walker e Jeffrey Gottfried, pesquisadores da Pew.

Entre os entrevistados que se identificaram como independentes também foi registrada uma clara divisão: 47% disseram que os verificadores tendem a favorecer um lado, enquanto que 51% disseram que seu trabalho é imparcial.

A pesquisa chega em meio a ataques permanentes aos meios de comunicação por parte do presidente Donald Trump. Segundo o presidente, as empresas jornalísticas são tendenciosas no tratamento das notícias. Frequentemente classica alguns veículos de "inimigos do povo".

A pesquisa da Pew revelou também que mais de 70% dos americanos acreditam que a imprensa tende a favorecer um lado quando cobre temas políticos e sociais.

Essa opinião é particularmente elevada entre republicanos: 89% disse que a cobertura desses assuntos era tendenciosa. Democratas e independentes também disseram, majoritariamente, mas em menor quantidade do que os republicanos, que a cobertura jornalística não era imparcial.

Quando perguntaram aos entrevistados sobre sua própria habilidade para verificar os dados publicados nas notícias, três de cada 10 disseram que tinham muita confiança em sua própria habilidade, enquanto que um em cada quatro disse ter pouca ou nenhuma confiança nessa aptidão pessoal.

A pesquisa, realizada entre fevereiro e março, incluiu consultas a 6.127 adultos e tem uma margem de erro de 1,6 ponto percentuais.

rl/dw/piz/mls/cc