PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Democratas querem destinar bilhões para hospitais e empresas

08/04/2020 13h57

Washington, 8 Abr 2020 (AFP) - Os líderes democratas do Congresso americano apresentaram nesta quarta-feira (8) um plano de ajuda da Casa Branca que chega a US$ 500 bilhões como pacote adicional destinado a empresas e hospitais, uma iniciativa que pode demorar por causa da votação legislativa.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, anunciou na última terça que tinha discutido "a solicitação do presidente Donald Trump" com líderes do Congresso para liberar US$ 250 bilhões adicionais para que as pequenas e médias empresas possam pagar os seus funcionários durante a crise.

Essa soma seria adicionada aos US$ 350 bilhões inclusos no gigantesco plano de ajuda econômica de US$ 2,2 trilhões votado pelo Congresso e sancionado por Donald Trump no final de março.

Mas a presidente da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi, e o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, emitiram um comunicado nesta quarta no qual listam suas "prioridades" para esse plano de ajuda "intermediário", que deveria complementar como um plano de "alívio profundo" para ampliar o auxílio aprovado no final de março.

Os democratas pretendem que haja mais crédito para os negócios com empreendedoras mulheres e minorias populacionais, assim como para hospitais, estados e governos locais, além de ajuda alimentar para os mais pobres.

O objetivo é que nenhuma pequena empresa seja "rejeitada pelos bancos" que disponibilizam esses créditos, ressaltaram.

O líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, disse na última terça que espera que o pacote de US$ 250 bilhões solicitado pelo governo Trump seja aprovado pelo Senado na próxima quinta-feira.

O texto teria que ser aprovado pela maioria democrata na Câmara de Representantes antes de ser aprovado por Trump.

Essa proposta duplicaria o novo pacote que a Casa Branca propõe.

Porém, as demandas democratas desta quarta podem prolongar o tempo das negociações e adiar a aprovação do plano, em um momento em que centenas de milhares de empresas estão solicitando empréstimos sob ajuda federal.