PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

México apresenta plano rumo à 'nova normalidade' após meses de quarentena

Pintura escrita coronavírus é vista em um muro enquanto um homem passa de bicicleta na Cidade do México - CARLOS JASSO/REUTERS
Pintura escrita coronavírus é vista em um muro enquanto um homem passa de bicicleta na Cidade do México Imagem: CARLOS JASSO/REUTERS

Da AFP, no México

13/05/2020 18h31

O México apresentou nesta quarta-feira um plano para avançar em direção a um "novo normal" após o confinamento pela pandemia do covid-19. O plano contempla a retomada progressiva das atividades econômicas, sociais e educacionais por zonas a partir de segunda-feira, começando pelos 269 municípios menos afetados pela vírus.

"A luz está acesa indicando que vamos sair do túnel em que estávamos e ainda estamos", disse o presidente Andrés Manuel López Obrador durante a apresentação.

A estratégia para suspender o confinamento considera a "vulnerabilidade social e econômica do México", afirmou, por sua vez, o subsecretário de Saúde, Hugo López-Gatell.

O plano, cuja implementação depende em última análise das autoridades regionais, é dividido em três etapas.

Na primeira fase, 269 municípios em 15 dos 32 estados mexicanos que apresentam poucos casos positivos, retomarão as atividades de trabalho e reiniciarão as aulas a partir de 18 de maio, afirmou a secretária de economia, Graciela Márquez.

O próximo passo, "em preparação para a reabertura geral", ocorrerá de 18 a 31 de maio e consistirá na implementação de protocolos que servem "para garantir um retorno seguro às atividades". Isso envolve treinar trabalhadores e empresas para impedir a propagação do vírus, acrescentou o secretário.

A última fase começará em 1º de junho, juntamente com a ativação de um semáforo. Ao indicar vermelho, como atualmente, apenas serão realizadas as atividades consideradas "essenciais", que agora incluem, além das relacionadas à saúde e bens básicos, construção, fabricação de equipamentos de transporte e mineração.

Gradualmente, e até atingir o verde, outros setores econômicos, atividades em espaços públicos e, finalmente, aulas serão adicionadas, com distanciamento físico e com medidas individuais de atendimento à saúde.

O presidente acrescentou que as autoridades regionais são livres para não executar o plano.

O México registrou seus três primeiros contágios em 28 de fevereiro e, na terça-feira, totalizou 38.324 casos confirmados de coronavírus e 3.926 mortes.

A Cidade do México e as áreas vizinhas México foram as regiões mais afetadas, com 5.500 hospitalizados, dos quais 20% estão intubados, de acordo com a prefeita da capital, Claudia Sheinbaum.