PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

OPEP+ acredita na recuperação da demanda de petróleo neste ano

OPEP+ acredita na recuperação da demanda de petróleo neste ano - Leonhard Foeger
OPEP+ acredita na recuperação da demanda de petróleo neste ano Imagem: Leonhard Foeger

03/02/2021 15h41

Os membros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e seus aliados indicaram na quarta-feira (3) após uma reunião que confiam na recuperação econômica mundial e, em consequência, na demanda de petróleo.

"Foram multiplicadas as vacinações em massa e a situação macroeconômica melhorou, assim como um otimismo crescente em relação às perspectivas da demanda mundial de petróleo", declarou o vice-primeiro-ministro russo, Alexander Novak, encarregado do setor energético, citado pela agência Ria.

Novak realizou estas declarações à margem de uma Comissão de Acompanhamento do Acordo de Redução de Produção do Grupo (JMMC), um encontro de caráter mensal.

Em um comunicado publicado pela instituição pouco depois da reunião (por telefone), a OPEP+ insistiu no "otimismo em 2021, ano da recuperação", considerando que "o deslocamento progressivo das vacinas no mundo é um fator positivo para o resto do ano, que estimulará a economia mundial e a demanda de petróleo".

Um otimismo palpável nos mercados desde o início de novembro, quando foram anunciadas as primeiras vacinas contra a covid-19. Isso se explica pelo crescimento do preço do petróleo em referência, que hoje tem níveis comparáveis aos do início de 2020, ou seja, cerca de 60 dólares o barril de Brent do Mar do Norte nesta quarta-feira no final do pregão europeu .

Para conseguir essa recuperação de preços, o cartel e seus aliados implementaram uma redução drástica em seu volume de produção do ouro negro desde a primavera, diante da queda na demanda causada pela pandemia covid-19.

A queda foi de 7,2 milhões de barris por dia (mbd) em janeiro; 7,125 mbd em fevereiro e 7,05 mbd em março.

Isso se soma aos milhões de barris diários retirados em fevereiro e março de 2021, a título complementar e voluntário, pela Arábia Saudita.

"A estratégia de produção [controle] OPEP + funciona", disse Jeffrey Halley, analista da Oanda.

Poucos analistas esperavam grandes anúncios ao final da reunião de quarta-feira, que ocorreu entre duas cúpulas ministeriais (com maior poder de decisão): a do início de janeiro e a do dia 4 de março.