PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Bolsonaro demite presidente da Petrobras após aumentos no preço dos combustíveis

28/03/2022 21h50

Rio de Janeiro, 29 Mar 2022 (AFP) - O presidente Jair Bolsonaro demitiu nesta segunda-feira (28) o presidente da Petrobras, o general Joaquim Silva e Luna, em meio à forte pressão pelos aumentos recorrentes no preço dos combustíveis.

A informação foi confirmada na noite desta segunda-feira (28) pelo Ministério de Minas e Energia, que propôs o economista Adriano Pires, especialista no mercado de energia, para substituir Silva e Luna.

A indicação deverá ser aprovada pelo Conselho de Administração da empresa em 13 de abril, informou o ministério.

Para presidir o Conselho de Administração da empresa, o ministério também propôs o nome do empresário e engenheiro Rodolfo Landim, que trabalhou nna estatal por mais de duas décadas. Atualmente, Landim é o presidente do Flamengo.

Bolsonaro nomeou Silva e Luna, um general da reserva do Exército, em fevereiro do ano passado, insatisfeito com os constantes aumentos de preço aplicados pela estatal, então presidida pelo respeitado economista Roberto Castello Branco.

Bolsonaro tem criticado constantemente a política de preços da estatal, que vem promovendo aumentos significativos seguindo o preço internacional do petróleo, o que fortaleceu a inflação, muito prejudicial para sua popularidade num momento em que se prepara para buscar a reeleição em outubro.

A Petrobras aplicou no início de março um aumento de 18,8% no preço da gasolina em suas refinarias e 24,9% no diesel em resposta ao "aumento mundial dos preços do petróleo e seus derivados como resultado da guerra entre a Rússia e a Ucrânia".

As ações da Petrobras caíram 2,63% ao fechamento da Bolsa de São Paulo nesta segunda-feira.

- "Não vai mudar muito" -Para o economista Alex Agostini, da consultoria Austin Rating, "essas trocas na gestão da empresa não são boas. É sinal de que tem alguma coisa errada".

"Mas para o mercado não vai mudar muito. Se entrar o Adriano Pires, que é um cara muito bom, especialista na área de petróleo e gás, eu acho que vai dar uma boa estabilidade para o mercado financeiro", porque ele dificilmente irá intervir na política de preços da Petrobras, declarou a AFP.

Doutor em Economia industrial pela Universidade Paris XIII, Pires foi, entre outros cargos, assessor do Diretor Geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis e é sócio-diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE).

Pires mostrou-se favorável à política de preços praticada pela estatal.

Em entrevista para a CNN Brasil após o aumento no início do mês, Pires disse que "não tinha como a Petrobras não aumentar os preços, porque a defasagem de preços entre o mercado interno e o externo era grande demais".

"Esta diferença estava começando a provocar um risco de desabastecimento no Brasil. O país importa cerca de 30% do que consome de derivados do petróleo. Se a defasagem for grande demais, ninguém importa e as reservas já estão se esgotando", analisou.

A Petrobras fechou 2021 com um lucro recorde de R$ 106,6 bilhões.

De acordo com a última pesquisa Datafolha realizada em março, 75% dos brasileiros acreditam que o governo tem "muita" ou "alguma" responsabilidade na inflação que afeta o bolso das famílias.

Essa mesma pesquisa indica que Bolsonaro perderia um eventual segundo turno contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por uma diferença de 21 pontos percentuais (55% a 34%).

mel/app/jm/am