PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Preço do petróleo cai 5% com novo confinamento na China

Teste de covid-19 em Yantai, no leste da China - STR/AFP
Teste de covid-19 em Yantai, no leste da China Imagem: STR/AFP

28/03/2022 09h11Atualizada em 28/03/2022 09h43

O preço do barril do petróleo americano WTI caiu mais de 5%, nesta segunda-feira, devido ao confinamento parcial decretado em Xangai, capital econômica da China, para tentar conter um surto de covid-19. A medida pode afetar a demanda do óleo no país.

Às 8h30 (horário de Brasília), o barril do West Texas Intermediate (WTI) operava em queda 5% e estava cotado a US$ 108,21 (R$ 513,20) e o do Brent do Mar do Norte, para entrega em maio, caía 4,56%, a US$ 115,15 (R$ 546,11).

"A queda dos preços hoje se deve principalmente às preocupações com a demanda, agora que a cidade de Xangai, uma metrópole chinesa, entrou em uma fase de confinamento parcial", comentou Carsten Fritsch, analista do Commerzbank.

"As notícias do bloqueio do centro financeiro de Xangai abalaram os mercados com perspectivas de novos episódios de desaceleração econômica e problemas na cadeia de suprimentos", disse Walid Koudmani, analista da XBT.

A capital econômica da China, que tem uma população de 25 milhões, está enfrentando seu pior surto de covid-19 em dois anos.

A cidade optou por impor um confinamento em duas etapas: os habitantes de Xangai que vivem no leste da cidade deverão ficar confinados até 1º de abril em suas casas, com proibição de deixá-las. Nesta data, será a vez da parte oeste.

"A política estrita de 'covid zero' da China levará a repetidos confinamentos nos principais centros de negócios, o que pode não deixar a demanda de petróleo da China incólume", continua Carsten Fritsch.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e os seus aliados (OPEP+), que se reúnem na quinta-feira, "darão particular atenção à situação da covid na China", diz Victoria Scholar, analista da Interactive Investor.

Os membros da OPEP+ recusam-se, por enquanto, aumentar significativamente a sua produção para aliviar o mercado, mantendo o aumento gradual de 400.000 barris por dia por mês.

"Novos confinamentos poderão ser usados para justificar a estratégia do cartel de aumentar lenta e constantemente a oferta ao mercado, apesar dos pedidos de aceleração", acrescenta ela.

"Além disso, esperamos que as negociações de paz entre Ucrânia e Rússia possam levar a uma reaproximação" das posições desses países, aponta Carsten Fritsch.

O presidente ucraniano, Voldymyr Zelensky, disse no domingo que seu governo está estudando "em profundidade" a questão da "neutralidade" da Ucrânia, um ponto central nas negociações com a Rússia para encerrar o conflito.

"Os investidores ficarão de olho nas notícias e desenvolvimentos do conflito e nas medidas de bloqueio chinesas que devem impactar os mercados nos próximos dias", continua Walid Koudmani.