PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

EUA se concentram em evitar que Rússia contorne sanções

16.jun.2021 - Os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden (à esq.), e da Rússia, Vladimir Putin, durante encontro bilateral em Genebra, na Suíça - Sputnik/Mikhail Metzel/Pool via REUTERS
16.jun.2021 - Os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden (à esq.), e da Rússia, Vladimir Putin, durante encontro bilateral em Genebra, na Suíça Imagem: Sputnik/Mikhail Metzel/Pool via REUTERS

14/04/2022 12h54Atualizada em 14/04/2022 12h54

Os Estados Unidos se concentrarão em impedir que as "grandes" sanções impostas à Rússia sejam contornadas, disse o assessor de Segurança Nacional do presidente Joe Biden nesta quinta-feira (14).

Washington e seus aliados reagiram duramente à invasão russa da Ucrânia ao sancionar o sistema financeiro russo, a aviação e outros setores de sua economia em uma tentativa até agora mal sucedida de pressionar o presidente Vladimir Putin a recuar.

"Achamos que demos os principais passos e nos próximos dias vamos nos concentrar na evasão", disse Jake Sullivan durante um fórum.

"Nas próximas duas semanas, faremos anúncios identificando alvos que estão tentando facilitar essa evasão dentro e fora da Rússia", disse ele.

No mês passado, os Estados Unidos anunciaram que suspenderiam as importações de petróleo, gás e carvão russos.

Enquanto isso, a União Europeia continua dividida sobre uma possível proibição das importações de energia russa.

Alguns países do bloco, como a Alemanha, têm se mostrado relutantes devido aos danos que isso causaria às suas economias.

"Claro, há essa questão de energia na Europa, e é uma conversa em andamento" entre as potências ocidentais, disse Sullivan.

Ele também se referiu aos bens de oligarcas russos que foram congelados por sanções e disse que, quando se trata de iates e outros bens, "nosso objetivo não é devolvê-los" aos seus proprietários quando a guerra acabar.

Alguns congressistas dos EUA pediram a venda ou liquidação de ativos russos que são alvos das sanções e que o dinheiro seja usado para a reconstrução da Ucrânia no pós-guerra.