Petróleo volta a fechar em alta em meio a versões sobre cortes da produção na Opep+

Os preços do petróleo registraram sua segunda alta consecutiva nesta quarta-feira (29), após versões que apontam para novos cortes da produção da Opep+.

Em Londres, o preço do barril de Brent do Mar do Norte para entrega em janeiro subiu 1,73%, fechando a 83,10 dólares.

Enquanto isso, em Nova York, o barril de West Texas Intermediate (WTI) para entrega na mesma data subiu 1,89%, a 77,86 dólares.

Segundo o The Wall Street Journal, a Opep e seus sócios na Opep+, avaliam uma redução voluntária adicional da produção, que poderia chegar a um milhão de barris diários, em sua reunião prevista para esta quinta-feira.

O volume se somaria aos cortes de 1,3 milhão de barris diários (mbd) de Arábia Saudita e Rússia, e aos 1,6 mbd já retirados do mercado por outros nove membros do grupo, incluindo os sauditas, desde abril.

A decisão parece longe de estar fechada, segundo outras informações, em particular da S&P Global Commodity Insights, que aponta que ainda não há acordo e não exclui a possibilidade de a reunião voltar a ser adiada.

O encontro já tinha sido adiado de domingo para segunda-feira, devido a "dissensos", informaram duas fontes à AFP.

"Nem mesmo sabemos se a reunião vai ocorrer amanhã (quinta-feira)", insistiu Stephen Schork, analista do The Schork Group. "É algo nunca visto".

"Se a decisão for adiada, poderia haver uma reversão de preços para baixo", alertou em nota Susannah Streeter, analista da Hargeaves Lansdown.

Continua após a publicidade

O mercado praticamente ignorou a publicação do informe de reservas nos Estados Unidos, que reportou um aumento de 1,6 milhão de barris, quando os analistas esperavam uma queda de 50.000 barris, segundo consenso colhido pela agência Bloomberg.

tu/er/mr/ll/mvvam

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes