Johnson&Johnson comprará empresa de biotecnologia para reforçar posicionamento em tratamento contra o câncer

A Johnson&Johnson (J&J) irá comprar a empresa de biotecnologia Ambrx por cerca de 2 bilhões de dólares (9,8 bilhões de reais) para reforçar seu posicionamento no tratamento contra o câncer, anunciou o laboratório americano nesta segunda-feira (8) em um comunicado. 

Com a operação, a J&J poderá contar com uma carteira de moléculas em desenvolvimento para tratar vários tipos de câncer, em particular o de próstata e o de mama. 

Tais moléculas utilizam anticorpos específicos chamados "armados" (ADC ou "Antibody Drug Conjugates"), considerados particularmente promissores na luta contra o câncer. 

Os ADC, fabricados no laboratório, estão acoplados a uma molécula anticancerígena que os leva exatamente ao local onde se encontra o tumor. 

O produto líder em desenvolvimento da Ambrx, ARX517, se encontra em processo de desenvolvimento clínico destinado ao câncer de próstata metastático. 

A empresa de biotecnologia também está trabalhando na criação de outras moléculas, incluindo uma para o câncer de mama. 

A operação financeira deve ser finalizada durante o primeiro semestre de 2024, indicou a J&J, que pagará 28 dólares por cada ação da Ambrx. As ações do grupo em questão fecharam a 13,63 dólares na sexta-feira. 

Os grandes laboratórios mundiais, que obtiveram enormes receitas durante a pandemia de covid-19, competem no setor da tecnologia, que se tornou nos últimos anos em um dos mais pujantes e lucrativos da indústria farmacêutica. 

Johnson & Johnson, que reportou vendas anuais por quase 95 bilhões de dólares (465 bilhões de reais) em 2022, informará seus resultados acumulados em 2023 em 23 de janeiro. 

Continua após a publicidade

lem/soe/spi/llu/mar/dd/aa

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora