Bolsas

Câmbio

Preço do minério de ferro se recuperou, pelo menos por enquanto

Jasmine Ng

(Bloomberg) - O minério de ferro, assolado durante anos pelo aumento da oferta e pela demanda saturada, se recuperou de repente e caminha para o maior rali semanal desde maio antes do feriado do ano-novo lunar da China. Mas talvez essa recuperação não dure muito.

A matéria-prima deu um salto de 9,6% nesta semana, quando os preços do aço subiram na principal economia da Ásia antes do feriado, que dura uma semana e começa no dia 8 de fevereiro. Os preços de referência do minério de ferro chegaram ao patamar mais alto em mais de dois meses, com um avanço de quase 20% em relação à mínima registrada em dezembro.

"Muitas usinas estão poupando lucros atualmente e março costuma ser um período de boom para o setor fabril, então a demanda pelo minério de ferro se fortaleceu", disse Zhao Chaoyue, analista da China Merchants Futures. "Depois do festival, as usinas com capacidade financeira, ou as que continuam competitivas, poderiam aumentar a produção. Mas não vai haver um aumento explosivo".

A subida do minério de ferro contrasta com os anos de declínios marcados pelo aumento da produção de baixo custo das principais mineradoras, como as australianas BHP Billiton e Rio Tinto e a brasileira Vale, e pela queda da demanda por aço na China. O rali ocorreu porque os metais básicos avançaram nesta semana, com a ajuda da desvalorização do dólar. O Australia New Zealand Banking Group alertou que a melhoria do minério de ferro provavelmente não se sustentará.

Ajuste temporário

Os ganhos recentes foram impulsionados por um ajuste temporário do mercado de aço chinês, de acordo com o ANZ. O banco destacou o minério de ferro como a única commodity que é suscetível de uma maior debilidade e projetou que os preços vão cair para US$ 35 por tonelada no fim de março, de acordo com um relatório de quinta-feira.

O minério com 62% de conteúdo entregue em Qingdao subiu 0,5 por cento, para US$ 45,73 por tonelada seca na sexta-feira, o patamar mais alto desde o dia 18 de novembro, de acordo com a Metal Bulletin. A commodity recuperou 19% desde que caiu para US$ 38,30 em dezembro, valor mais baixo entre preços diários que remontam a maio de 2009.

A recuperação ocorreu em um contexto de estoques portuários elevados na China e de defesas dos anúncios de política do governo central que visa a restringir o excesso de capacidade na maior indústria siderúrgica do mundo. Até 150 milhões de toneladas de capacidade anual vão fechar até 2020, de acordo com um esboço do Conselho de Estado na quinta-feira.

Lucros

Os futuros do vergalhão despencaram em Xangai em novembro e depois subiram 9,7% em dezembro, desbancando o aumento de 1,4% registrado pelo minério de ferro em Qingdao naquele mês. O produto utilizado na construção ampliou o avanço em janeiro e fechou a 1.863 yuans (US$ 284) a tonelada no dia 27 de janeiro, o valor mais alto desde setembro. Na sexta-feira, ele estava a 1.843 yuans.

"Os preços do aço aumentaram nos últimos meses e não houve muita alteração nos preços das matérias-primas", disse Xu Huimin, analista da Huatai Great Wall Futures em Xangai. "Para as empresas siderúrgicas com uma gestão melhor de custos, elas poderiam estar gerando lucros de cerca de 100 yuans por cada tonelada".

Como os preços do produto aumentaram, a lucratividade das siderúrgicas melhorou, disse Zhao, da China Merchants. Mesmo assim, embora o minério de ferro possa estender os ganhos por um tempo depois do feriado do ano-novo lunar, ele voltará a cair para US$ 35 por tonelada até agosto, previu ele.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos