Bolsas

Câmbio

Opinião: Calma no mercado pode ser apenas um alívio

Mohamed A. El-Erian

(Bloomberg View) - Na semana passada, investidores globais tiveram um alívio muito necessário dos mercados voláteis, com muitas perdas. Mas ao invés de sinalizar o início de uma fase de mercado mais calmo, pode ser um prelúdio para renovada volatilidade nas próximas semanas.

Após o término do último pregão da semana anterior, com ganhos, as ações globais tiveram um bom início na segunda-feira. Os mercados dos EUA divulgaram seu melhor desempenho semanal desde novembro, dois dias de sólido crescimento de mercado foram seguidos por uma consolidação relativamente calma. Os mercados no Japão e em algumas partes da Europa estiveram ainda melhor, registrando ganhos de 5 por cento a 7 por cento.

Havia quatro razões para esta pausa depois de um início de ano horrível:

As tentativas dos bancos centrais, especialmente fora dos EUA, de tranquilizar os mercados; negociações intensificadas entre os produtores de petróleo destinadas a estabilizar os preços; a corrida dos bancos europeus para evitar aderir ao conjunto de estranhos segmentos de mercado que tomam medidas que incluem recompras de seus títulos; e algumas, ainda que limitadas, notícias econômicas positivas dos EUA.

No entanto, nenhum desses fatores serve para conter significativamente, muito menos superar três realidades muito maiores e mais consequentes.

Em primeiro lugar, os lucros das empresas serão ainda mais desafiados por sinais continuados de propagação de fraqueza econômica global e uma incapacidade persistente por parte dos governos de dar as respostas políticas necessárias. Na semana passada, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) juntou-se a outros observadores econômicos internacionais nas previsões de crescimento mais baixas. Também apresentou riscos adicionais.

Em segundo lugar, a capacidade contínua dos bancos centrais de reprimir a volatilidade financeira está cada vez mais em dúvida. As instituições que estão dispostas a seguir tais políticas, particularmente na China e no Japão, estão enfrentando dúvidas sobre sua eficácia. E os bancos centrais mais capazes, como o Federal Reserve, podem não estar dispostos a atuar, sobretudo levando em conta indicadores econômicos sugerindo que a volatilidade financeira não contaminou a atividade econômica e que salários e inflação estão a começando a subir.

Em terceiro lugar, apesar de alguns dias de ganhos no mercado possam forçar os traders a cobrir suas vendas a descoberto, neste caso, não parece ter levado ao retorno do papel estabilizador do capital a longo prazo. Em vez disso, parece, a partir dos dados sobre o fluxo de fundos, que os mercados ainda precisam reprecificar consideravelmente mais baixo para encontrar a entrada de ancoragem de capital paciente significativo.

Até esses três fatores mudarem, períodos ocasionais de mercado calmo - e, felizmente, haverá alguns - acabarão sendo frustrantemente curtos. Mas isso não significa que os investidores devem aceitar cavalgar passivamente mercados de montanha-russa que provavelmente criarão ansiedade e pode até mesmo forçar alguns, durante grandes bolhas, a liquidar no momento errado. Em vez disso, os investidores deveriam considerar a adição de um componente tático para o seu posicionamento estratégico e estrutural de longo prazo.

Dada a probabilidade de um retorno da volatilidade significativa, períodos de pressão de queda vão continuar a estar associados com a superação de preços e contágio indevido. Para investidores dispostos a tolerar muitos riscos de ajuste a preços de mercado, estas oscilações vão oferecer uma oportunidade de ganhar exposição a preços atrativos para os nomes que possuem fundamentos econômicos e financeiros sólidos. E durante os períodos de revisão ascendente, esses mesmos investidores terão a oportunidade de acumular dinheiro, enquanto continuam a melhorar a qualidade de seus ativos.

Ancorado pela noção de "buy and hold", muitos investidores de longo prazo vão, naturalmente, resistir à adição de um componente tático para sua abordagem de investimento. Mas isso poderia também fazer com que corressem o risco de perder de vista uma realidade maior que os mercados voláteis estão sinalizando agora de forma cada vez mais consistente.

O mundo está passando por realinhamentos políticos e econômicos que prejudicam duas noções que funcionaram bem aos investidores "buy and hold" nos últimos anos: que o crescimento global, apesar de baixo, permanece relativamente estável; e que os bancos centrais sistemicamente importantes continuam a estar dispostos e capazes de reprimir a volatilidade financeira e aumentar os preços dos ativos financeiros.

Este paradigma está chegando ao fim. Além disso, o futuro está longe de ser predeterminado, dependendo, em grande parte, da capacidade dos políticos de eliminar a dependência excessiva dos bancos centrais e passar a uma resposta política mais ampla. Enquanto isso, é melhor nos prepararmos para o retorno de uma maior volatilidade dos mercados financeiros.

Esta coluna não reflete necessariamente a opinião do conselho editorial ou da Bloomberg LP e seus proprietários.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos