Bolsas

Câmbio

BC da Argentina pretende atacar 'problema da inflação'

Raymond Colitt

(Bloomberg) -- O banco central da Argentina está mirando a inflação e se refere à taxa de câmbio como uma proteção da economia, segundo o presidente da instituição, Federico Sturzenegger.

"O mais importante é ter um banco central focado na inflação e depois deixar a taxa de câmbio cumprir sua função de para-choque da economia", disse Sturzenegger, em Xangai, onde participou da reunião do Grupo dos 20.

"A intervenção se dá para corrigir altas e ocorrências sem relação com os fundamentos, não para sustentar uma taxa de câmbio fora de equilíbrio."

A inflação acelerou em janeiro, com os preços ao consumidor subindo 4,1% em relação ao mês anterior, segundo um índice produzido pela cidade de Buenos Aires. A inflação anual está em 29,6%.

Sturzenegger, que também disse que o banco central não tem metas para os níveis do câmbio, assumiu o comando do banco central em dezembro, nomeado pelo presidente recém-eleito da Argentina, Mauricio Macri.

Em seu primeiro mês no cargo, Macri desvalorizou o peso, cancelou a maior parte das restrições ao capital e ao comércio, iniciou uma reformulação na agência de estatísticas e deu o pontapé inicial nas negociações com os credores descontentes do calote do país em 2001.

Com isto, ele se diferencia da presidente anterior, Cristina Kirchner, e de seu falecido marido e antecessor, Néstor Kirchner. Durante o governo dos dois ex-presidentes, a Argentina restringiu o comércio, desafiou os detentores de sua dívida em calote e gerenciou a moeda com intervenções diárias do banco central.

A restrição da oferta de dinheiro não é uma ameaça ao crescimento do produto interno bruto, disse Sturzenegger. "Sempre se chega a um equilíbrio" em relação à oferta de dinheiro, disse ele. "Mas hoje temos um problema de inflação que estamos tentando diminuir".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos