Bolsas

Câmbio

Endinheirados agora têm uma forma segura de se livrar de joias

Charlotte Howard

(Bloomberg) -- Comprar um colar de rubis usado por US$ 7.000 pela internet parece arriscado. Mas uma empresa iniciante encontrou uma forma bem sucedida de vender online pedras de segunda mão.

A Gleem & Co. formou um mercado de luxo para joias em consignação, que oferece desde uma argola de pulso esmaltada em ouro da marca Hermès por US$ 288 até uma pulseira Art Déco de diamantes da Cartier por US$124 mil. A plataforma de e-commerce faz garantia, avaliação e revenda -- tudo isso em um só lugar.

Friedman (mestre em gemologia) e Casey Sullivan (que já trabalhou no BNP Paraibas/Fortis Investments e no DFS Group, da LVMH), Lawrence comandava novos lançamentos empresariais na Gilt Groupe e na Soap.com.

Mais poder para a consumidora

Clientes agora podem vender joias à Gleem & Co. recebendo 70% em dinheiro ou 90% em crédito online. Claro, também podem apenas comprar.

"Estamos tentando dar mais poder às mulheres na escolha de suas próprias joias e acreditamos que a mulher merece valor justo e peças excepcionais ", disse Lawrence.

O website atende principalmente mulheres, mas os compradores do sexo masculino não são ignorados.

A plataforma oferece serviço grátis de concierge para anéis de noivado (a preços que variam de US$ 1.900 a US$109.000) e para ajudar a encontrar relógios raros, como um Franck Muller referência 3870 de cronógrafo de dupla face em ouro amarelo de 18 quilates, que sai por US$ 19.050.

As vendas de joias via e-commerce aumentaram 11% em 2015. Foi o maior crescimento apurado no varejo de joias nos EUA, de acordo com a Euromonitor. Além disso, clientes atualmente começam a comprar joias mais jovens. No segmento vintage, o mercado de joias de luxo de segunda mão também se expande a passos largos.

Combate a fraudes

O maior desafio na revenda online de joias é combater fraudes. A Gleem conta com a experiência do cofundador Friedman para autenticar o que oferece.

Como avaliador-mestre em gemologia, título concedido a menos de 50 profissionais no mundo, ele inspeciona cada item na coleção da empresa -- avaliada em US$ 5 milhões --, que então é segurado por meio da Lloyd's de Londres.

Não demorou para a gigante de comércio online EBay começar a prestar atenção.

"A EBay compartilha nossa filosofia de que as joias devem ser acessíveis e disponíveis a preços honestos", disse o cofundador Sullivan, responsável pelo marketing da Gleem. "Fizemos uma parceria com a EBay para promovermos conjuntamente os produtos da Gleem como uma loja dentro de uma loja."

Atualmente a empresa está incubada nos escritórios dedicado aos Amigos da EBay, no bairro de Chelsea, em Nova York. De acordo com Sullivan, a Gleem iniciou a primeira rodada de captação e os negócios vão muito bem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos