Cinco assuntos que vão dar o que falar hoje

Lorcan Roche Kelly

(Bloomberg) -- É o dia da decisão do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos), o petróleo ultrapassa US$ 45 por barril e Trump triunfa de novo. Esses são alguns dos assuntos que vão dar o que falar nos mercados nesta manhã.

Dia do Fed

Hoje às 14 horas, horário de Nova York, o Federal Reserve anunciará sua última decisão sobre política monetária. Como precisamente nenhum dos economistas consultados pela agência de notícias Bloomberg antecipa uma mudança na reunião de hoje nem uma entrevista coletiva após o anuncio, todas as atenções estarão voltadas para o comunicado e se é incluída uma linha sobre o 'balanço de riscos', a qual poderia insinuar uma movimentação das taxas de juros em junho. Como há muita confiança em que o banco central dos EUA ficará firme, os títulos do Tesouro dos EUA acabaram com a pior sequência de declínios em três anos após sofrerem sete dias consecutivos de perdas.

O petróleo mais caro desde novembro

Os futuros do West Texas Intermediate eram negociados nesta manhã acima de US$ 45 por barril pela primeira vez desde novembro de 2015. A alta será um alívio para as grandes companhias de petróleo no meio de uma temporada de balanços para o primeiro trimestre que está mostrando um colapso dos lucros por causa dos preços baixos do petróleo bruto. O crescimento também aproxima o preço por barril de US$ 50, valor que agora é considerado o "número mágico" para reativar a produção dos EUA.

Lucros de empresas de tecnologia

Ontem foram publicados resultados decepcionantes da Apple, cujas ações recuavam 7,3% no pré-mercado, e do Twitter, cujas ações caíam 13,75%. Os efeitos da queda nas vendas do iPhone continua sendo sentido nesta quarta-feira, já que as ações dos fornecedores da Apple também estão caindo. Hoje, o Facebook e a PayPal informarão seus resultados. Os futuros do Nasdaq 100 recuavam 1,1% às 5h50, horário de Nova York.

Bolsas com resultados desiguais

O índice MSCI Asia Pacific caiu 0,7% ontem à noite e na China, o índice Shanghai Composite recuou 0,4 por cento apesar de um salto nos lucros industriais. Na Europa, o índice Stoxx 600 avançava 0,1% às 6h05, horário de Nova York, e se recuperava de perdas de até 0,4% porque a redução da projeção de lucros da Munich Re arrastou as seguradoras. Os futuros do S&P 500 caíram 0,3%.

Novo triunfo de Trump

O favorito para a nomeação do Partido Republicano, Donald Trump, venceu nos cinco estados que organizaram votações na terça-feira e se declarou "presumível vencedor" em seu discurso triunfal. Hillary Clinton ganhou em quatro estados e consolidou sua reivindicação para nomeação democrata.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos