Bolsas

Câmbio

Escândalo do 1MDB pressiona mercado da Malásia com forte queda

Choong En Han e Jonathan Burgos

(Bloomberg) -- Um dos piores escândalos financeiros globais está causando reflexos no bull market mais longo do mundo.

A preocupação maior em relação ao 1Malaysia Development Bhd., o problemático fundo soberano de investimento que é alvo de investigações em lugares como Suíça e Cingapura, entre outros, provocou a maior fuga de capital estrangeiro em oito meses. O índice acionário de referência da Malásia eliminou boa parte de seus avanços após atingir a maior alta do ano em abril. O impacto prolongado do 1MDB está levando os investidores a procurarem outros mercados no Sudeste Asiático, segundo a Baring Asset Management.

"É provável que as pessoas estejam ficando impacientes porque continuam ouvindo falar de problemas no 1MDB", disse Lim Soo Hai, gerente de recursos da Baring Asset em Hong Kong, empresa que administra cerca de US$ 41 bilhões, por telefone. "Estamos hesitando em investir na Malásia porque não encontramos muitas ações interessantes".

O êxodo de recursos internacionais é uma inversão drástica em relação ao primeiro trimestre do ano, quando as gestoras de recursos acumularam rapidamente ativos do Sudeste Asiático, levando o índice acionário ao nível mais alto em oito meses. O FTSE Bursa Malaysia KLCI Index quase dobrou em relação às mínimas de 2008 sem sucumbir a uma queda de 20 por cento, o que faz dele o bull market mais longo do mundo.

Após subir 7,9 por cento em relação à mínima deste ano em janeiro, o índice acionário recuou quase 6 por cento em relação ao pico de abril. Isto deixou o índice de ações da Malásia muito para trás em relação à alta de seus pares emergentes do Sudeste Asiático.

Assunto 1MDB

"Ainda não estamos investindo na Malásia", disse Raymond Kong, gerente de fundos em Cingapura da One Asia Investment Partners, que administra US$ 2,5 bilhões em ativos. "Os outros mercados asiáticos têm perspectivas de crescimento melhores e fundamentos melhores. O assunto 1MDB definitivamente está mantendo os recursos longe da Malásia".

O escândalo em torno do 1MDB ganhou força na semana passada quando Cingapura fechou a unidade do BSI na cidade-estado no momento em que as autoridades suíças iniciaram processos criminais contra o banco suíço relacionados aos fluxos de recursos do problemático fundo de investimento malaio.

As apurações e a decisão desfavorável para a unidade do BSI em Cingapura fazem parte de investigações internacionais em torno do 1MDB por suposta lavagem de dinheiro e desvio de recursos. Uma comissão parlamentar malaia identificou pelo menos US$ 4,2 bilhões em transações irregulares do fundo estatal e recomendou a dissolução do comitê consultivo liderado pelo primeiro-ministro Najib Razak. O 1MDB e Najib negaram irregularidades.

As fugas de recursos das ações também surgem em um momento em que se projeta o crescimento econômico mais lento em sete anos na Malásia para 2016 devido aos dois anos de queda dos preços do setor energético.

"A Malásia tem sido afetada pelos baixos preços do petróleo. Estamos em um ambiente de crescimento de muito pouco brilho", disse Lim, da Baring Asset. "Os distúrbios na frente política não têm ajudado muito em termos de confiança do investidor".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos