Bolsas

Câmbio

Bilionários

Rei da prata do México lucra US$ 1,3 bi com alta dos metais

Andrea Navarro

  • Alfonso Reyes

(Bloomberg) -- O magnata dos metais Alberto Baillères está desfrutando dos maiores ganhos entre as pessoas mais ricas da América Latina graças à recuperação dos preços da prata e do ouro.

O segundo homem mais rico do México aumentou sua riqueza em US$ 1,3 bilhão neste ano, impulsionado pela alta das empresas Industrias Peñoles e Fresnillo, proprietária da maior mina de prata do mundo. O crescimento de 14 por cento da fortuna de Baillères é o maior registrado entre as 10 pessoas mais ricas da América Latina.

A prata e o ouro estão revertendo três anos seguidos de declínios em um momento em que os investidores reduzem as apostas em juros mais altos nos EUA e procuram portos seguros. O preço da prata está recebendo um impulso adicional das projeções de queda da oferta e aumento da demanda para aplicações industriais em painéis solares, telefones celulares e TVs de tela plana.

"A Peñoles continua sendo nossa escolha favorita no setor de mineração do México", disse Mandeep Manihani, analista do JPMorgan, em nota a clientes neste mês, na qual elevou a meta de preço de 282 pesos para 340 pesos. A melhora dos resultados e os preços mais elevados dos metais "trouxeram a Peñoles de volta aos radares dos investidores".

A Peñoles subiu 61 por cento neste ano, para 285 pesos. É o maior aumento do índice de referência IPC entre 37 ações mexicanas e representa mais de oito vezes o avanço médio dele. A Fresnillo teve uma alta de 44 por cento.

Porto seguro

Os preços dos metais preciosos subiram neste ano porque o temor em relação à desaceleração do crescimento global levou os traders a reduzirem as apostas em uma ação rápida do Fed para elevar as taxas de juros nos EUA. O ouro subiu 14 por cento neste ano e a prata avançou 16 por cento.

"Quando a confiança do mercado no aumento dos juros pelo Federal Reserve caiu, foi positivo para o ouro", disse Eily Ong, analista da Bloomberg Intelligence, em entrevista por telefone. "Ajudou a elevar bastante o preço do ouro e de todos os metais preciosos neste ano".

Não pagam juros

Uma política monetária mais rígida reduz o apelo dos metais preciosos, que não pagam juros. A modificação da taxa básica dos EUA pode chegar em breve -- os futuros das taxas mostram 34 por cento de chances de aumento em junho e 59 por cento em julho --, o que poderia reverter o desempenho da Peñoles. Há seis meses, a probabilidade de alta do Fed estava em 63 por cento.

A melhora da economia dos EUA provavelmente justificará outro aumento da taxa de juros "nos próximos meses", disse a presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, em 27 de maio. Ela não deu nenhuma pista explícita de que o banco central americano atuará em junho.

"Os preços mais baixos dos metais redundariam em um rendimento menor para a Peñoles, razão pela qual a empresa está permanentemente focada no controle e na redução de custos", disse a empresa em e-mail de resposta a perguntas.

Para bilionário, desigualdade tem de diminuir, senão haverá revolução

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos