Bolsas

Câmbio

Petróleo armazenado em ilhas chinesas intriga o mercado

Bloomberg News

(Bloomberg) -- As reservas de petróleo da China deixam o mundo intrigado.

Das cavernas subterrâneas do Mar Amarelo a uma série de ilhas no delta do Rio Yangtzé, o governo vem acumulando petróleo para emergências em uma rede de locais de armazenagem espalhados pelo país. Neste ano, o recorde de aquisições da China, que é o maior consumidor de energia do mundo, ajudou os preços do petróleo a se recuperarem da pior queda em uma geração. O que o país planeja fazer a seguir poderia determinar para onde ele vai a partir daqui.

O problema é que ninguém fora da China tem certeza de nada. O governo não revela a quantidade armazenada, nem quando os tanques estarão repletos. A Energy Aspects afirma que o país provavelmente continuará comprando e preencherá os tanques comerciais se necessário, enquanto instituições como o JPMorgan apontam que as aquisições poderão parar em breve. A diferença entre as opiniões é equivalente a cerca de 1,1 milhão de barris por dia, mais do que o país asiático compra da Arábia Saudita.

"A China parece não sentir nenhuma obrigação de divulgar seus estoques estratégicos e isso pode conferir uma genuína vantagem a seu favor", disse John Driscoll, estrategista-chefe da JTD Energy Services, que negociou petróleo durante mais de 30 anos em Cingapura. "O escopo de suas aquisições pode afetar drasticamente os fundamentos e os preços. Contudo, como elas provavelmente serão feitas em sigilo, a quantificação do impacto continuará sendo desafiadora".

A China delineou em 2009 planos de construir reservas equivalentes a 100 dias de importações líquidas. Mas desde então forneceu apenas fragmentos esporádicos de detalhes sobre suas reservas estratégicas de petróleo. Trata-se de um contraste em relação aos EUA, já que o Departamento de Energia americano detalha os dados dos estoques do país há mais de três décadas.

A China mantinha cerca de 191 milhões de barris de petróleo em suas reservas estratégicas na metade do ano passado, segundo comunicado publicado no site do Escritório Nacional de Estatísticas em dezembro. Mas a China também informou na época que a capacidade total combinada de sete locais na superfície e de uma área com cavernas subterrâneas era equivalente a apenas 180 milhões de barris. Os números não foram atualizados desde então.

O governo também disse na época que alugava espaço em instalações comerciais, sinalizando que poderia comprar petróleo adicional enquanto mais tanques próprios são construídos. Ninguém respondeu a um fax enviado à assessoria de imprensa da Administração Nacional de Energia da China em busca de detalhes sobre a reserva estratégica de petróleo chinesa.

"As reservas estratégicas de petróleo são um dos mistérios da China devido à falta de divulgação de informações pelo governo", disse Ying Wang, analista do JPMorgan em Hong Kong. O banco estima a quantidade de petróleo que a China adiciona aos seus estoques calculando quanto do petróleo que o país compra e produz não é utilizado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos