Bolsas

Câmbio

Startup divulga código de uso público e abala blockchain

Matthew Leising

(Bloomberg) -- É hora de testar o tão falado blockchain -- tecnologia subjacente ao bitcoin. Após um ano de promessas de que a tecnologia revolucionaria Wall Street, agora qualquer um pode fazer o download de todo um blockchain construído especificamente para o setor de serviços financeiros.

A Chain, startup com sede em São Francisco que trabalha com a Visa e fez uma apresentação sobre os benefícios do blockchain à presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, acaba de liberar ao público as 30.000 linhas de código aberto que compõem seu sistema Core Developer Series. Desenvolvedores e engenheiros de software, traders e executivos agora podem construir e testar qualquer tipo de aplicação que acreditem que ajude a melhorar a eficiência de seus negócios, disse Adam Ludwin, presidente da Chain.

"Até hoje, a maioria dos projetos de blockchain existia apenas nas apresentações de PowerPoint", disse Ludwin, em entrevista. "Estamos divulgando o resultado de dois anos e meio de trabalho."

Diversos setores, como finanças, assistência médica e empresas de serviços públicos, estão fazendo experimentos com blockchains com o objetivo de mudar radicalmente a forma de monitorar pagamentos, processar transações de títulos e derivativos e armazenar registros de saúde, para citar alguns usos possíveis. Em Wall Street, o blockchain é aclamado como uma forma de realizar em tempo real pagamento que hoje levam dias ou semanas, liberando bilhões de dólares em capital que permanecem imobilizados até a verificação das contas.

Sistema da Visa

O blockchain divulgado hoje pela Chain é a base do sistema de transações quase em tempo real que está sendo desenvolvido pela Visa. Conhecido como Visa B2B Connect, ele é uma tentativa de reformular e acelerar bastante o processamento de pagamentos comerciais globalmente.

Os blockchains associados às moedas digitais bitcoin e ether são livres e podem ser usados pelo público como base. Contudo, eles não foram feitos tendo aplicações financeiras em mente, o que diferencia a Chain, disse Ludwin. Outras companhias, como Symbiont, Digital Asset Holdings e R3, também estão trabalhando no desenvolvimento de blockchain. No caso da Ripple, seu blockchain está movimentando dinheiro ao redor do mundo diariamente. Mas o acesso a esses sistemas é restrito a parceiros ou clientes e não está aberto ao público.

O sistema da Chain foi desenvolvido para ser compartilhado entre usuários que se conhecem, como bancos e seus clientes, algo conhecido como blockchain com permissão. Esta não é a forma de funcionamento do bitcoin, cujos usuários são anônimos. E o sistema da Chain foi criado para abrigar vários ativos, não apenas uma única moeda digital, como bitcoin ou ether, disse Ludwin.

"Queremos colocar centenas de milhares de ativos no sistema", disse ele. Possibilitar que as pessoas façam experimentos com o software "com certeza acelera a adoção dessa tecnologia", disse ele. "Esse é um ponto de mudança, da fase da tecnologia para a fase da comercialização."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos