Bolsas

Câmbio

Leilão mexicano atrai maiores petroleiras do mundo

Amy Stillman e Adam Williams

(Bloomberg) -- O primeiro leilão competitivo de petróleo em águas profundas do México superou as expectativas com a concessão de oito de 10 blocos para algumas das maiores petroleiras do mundo.

A Comissão Nacional de Hidrocarbonetos do México concedeu todos os quatro blocos na bacia de Perdido, rica em petróleo, que geologicamente seria um espelho do lado americano do Golfo do México, a empresas como Total, CNOOC, Chevron e Exxon Mobil.

Na Bacia Salina, no sul, menos explorada e portanto considerada de maior risco, foram concedidos quatro dos seis blocos. Em separado, a BHP Billiton ganhou o direito de desenvolver o campo de Trion, no Golfo, junto com a Pemex.

O leilão em águas profundas sinaliza o início de uma nova era para o México, que encerrou o monopólio de 75 anos da estatal Petróleos Mexicanos no setor energético em 2013 abrindo as portas à concorrência estrangeira.

O México conta com a chegada de investimentos estrangeiros para ajudar a reverter 12 anos de declínios na produção de petróleo. O governo tinha expectativas modestas para a venda, tanto que em entrevista a uma rádio, na semana passada, o ministro da Energia, Pedro Joaquín Coldwell, havia afirmado que o governo ficaria feliz se vendesse quatro dos 10 blocos.

"A participação de todo o globo prova que as grandes empresas do mundo estão interessadas em entrar no México", disse Jeremy Martin, diretor do programa de energia do Instituto das Américas em San Diego, EUA, em entrevista por telefone, da Cidade do México. "O México, e particularmente a Pemex, devem estar dando um grande suspiro de alívio."

Os royalties adicionais médios prometidos ao Estado, com mínimos estabelecidos em 3,1% nos blocos de Perdido e em 1,9 por cento na Bacia Salina, atingiu dois dígitos na maior parte dos casos. A estimativa é que o desenvolvimento de cada bloco do leilão de águas profundas custará US$ 4 bilhões, segundo o Ministério da Energia.

"Essa conquista é o resultado do novo modelo energético mexicano", escreveu a Associação Mexicana de Companhias de Hidrocarboneto, conhecida como AMEXHI, em comunicado enviado por e-mail. O investimento da primeira rodada dos leilões de petróleo do México "impactará o crescimento econômico do país e o desenvolvimento dos recursos petrolíferos para os mexicanos."

A Total ganhou três blocos no leilão, incluindo dois na Bacia Salina, como parte de um grupo com a norueguesa Statoil ASA e a BP, além de um na Bacia de Perdido com a Exxon. A CNOOC ficou com dois blocos em Perdido, vencendo a Pemex no primeiro bloco. A Chevron, em um consórcio com a Pemex e a japonesa Inpex, também ganhou um bloco em Perdido.

A BHP Billiton superou a BP pela joint venture Trion com um compromisso em dinheiro de US$ 624 milhões, contra US$ 604 milhões da BP. Estima-se que a área, localizada ao sul da fronteira marítima com os EUA, contenha o equivalente a 485 milhões de barris.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos