Bolsas

Câmbio

Cancelamentos de acordos de vendas de imóveis aumentam nos EUA

Patrick Clark

(Bloomberg) -- Esperar meses até encontrar a casa perfeita dentro de sua faixa de preço e depois ter a candidatura à hipoteca rejeitada ou descobrir a necessidade de realizar consertos caros em uma inspeção é um pesadelo -- que está virando realidade com frequência cada vez maior nos EUA, segundo um novo relatório do website de anúncios imobiliários Trulia.

Uma análise do Trulia sobre os anúncios de residências dos EUA mostra que 3,9 por cento dos imóveis que passaram de "vende-se" para "pendente" retornaram depois para o status de "vende-se", quase o dobro da taxa de 2015.

Essas "vendas fracassadas" aumentaram em 96 das 100 maiores metrópoles dos EUA, com grandes oscilações em áreas grandes e pequenas, ricas e pobres. O fenômeno ocorreu em lugares como Los Angeles, Charleston, na Carolina do Sul, San José e Akron, em Ohio.

No condado de Ventura, na Califórnia, onde a mediana dos valores das residências é de US$ 548 mil, 11,6% das vendas em potencial de 2016 acabaram não sendo fechadas. É a proporção mais alta dos EUA, superior aos 3,1% de 2015. Tucson, onde a mediana dos valores das residências é de US$ 176 mil, teve a segunda maior taxa de vendas fracassadas, de 10,8%, contra 3,5% no ano anterior.

O problema das vendas fracassadas tem sido mais agudo nos casos das casas mais baratas e antigas: cerca de 6,3% das vendas das primeiras moradias caíram por terra no ano passado, segundo análise do Trulia, contra 3,6% das chamadas vendas de casas premium. As residências construídas nos anos 1960 apresentaram as taxas de fracasso mais elevadas, enquanto as vendas de casas mais novas ou mais antigas que as citadas apresentaram probabilidade maior de avanço.

Os dados do Trulia não explicam por que os anúncios foram revertidos de "pendentes" para "vende-se", mas de maneira geral existem alguns fatores que podem com certeza prejudicar um negócio:

A hipoteca do comprador não é aprovada.

Isso pode acontecer até mesmo com compradores pré-qualificados, especialmente aqueles que precisam se esforçar para superar candidatos rivais na compra de uma residência. Vale pontuar que os tomadores de empréstimos estão tendo maior facilidade para conseguir hipotecas: 77% das hipotecas para compra foram concluídas em outubro, segundo a empresa de softwares de hipotecas Ellie Mae, maior porcentagem desde 2012.

Uma empresa de avaliações dá um valor abaixo do preço de venda ao imóvel.

Avaliações baixas são mais comuns em mercados aquecidos, nos quais os compradores elevam os preços dos imóveis além do que os avaliadores acreditam que eles valem. Mas houve muitos mercados aquecidos em 2015, quando a taxa de fracasso foi mais baixa, por isso não é tão óbvio o motivo pelo qual as avaliações são responsáveis pelo aumento das vendas fracassadas.

A transição pelo processo de avaliação tem sido problemática para os compradores desde as reformas aprovadas no rescaldo da crise hipotecária, disse Robert Gleason, CEO da Associação dos Corretores de Imóveis da região de Forth Worth. "Qualquer área em que se tenha um mercado aquecido será uma preocupação", disse ele. "Os preços sobem um pouco e pode tardar para que as avaliações acompanhem."

Defeitos descobertos em inspeções nas residências motivam desistência.

Uma residência que precisa de obras caras para consertar rachaduras nos alicerces ou um telhado com problemas, por exemplo, pode deixar de parecer um bom negócio. Isso ajuda a explicar por que as vendas de casas mais antigas têm mais probabilidade de fracasso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos