Bolsas

Câmbio

Motoristas mexicanos vão à Califórnia para fugir do gasolinaço

Laura Blewitt e Robert Tuttle

(Bloomberg) -- A liberalização do mercado de combustíveis do México conseguiu algo raras vezes visto antes: fez os preços das bombas da Califórnia parecerem baratos.

Os motoristas estão atravessando em massa a fronteira com o sul do estado da Califórnia, EUA, para encher o tanque com gasolina depois que manifestantes bloquearam centros de distribuição perto de Mexicali, capital da Baixa Califórnia, no México, deixando os postos locais sem combustível.

O posto de gasolina Antunez's Shell, em Calexico, nos EUA, está a apenas cinco quadras da fronteira com o México e em raras oportunidades recebeu tantos clientes quanto agora. Os motoristas de Mexicali esperam quatro a cinco horas para atravessar para os EUA apenas para abastecer e depois aguardam mais duas horas para atravessar de volta para o México.

"No momento está uma loucura", disse Rodrigo Marquez, 30, funcionário do posto, em entrevista por telefone. "Estamos recebendo muita, muita gente. Todos querem encher o tanque."

Quando o México abriu seu mercado anteriormente monopolizado à concorrência estrangeira pela primeira vez em quase oito décadas, o governo elevou os preços dos combustíveis para atrair importações e concorrência do exterior. O aumento de 20 por cento, apelidado de "gasolinaço", gerou protestos em todo o país, o que restringiu a distribuição de combustível, deixando a Petróleos Mexicanos, ou Pemex, com dificuldades para abastecer seus postos.

Califórnia mais barata

O preço da gasolina sem chumbo em Mexicali foi elevado em janeiro para 16,17 pesos por litro, ou US$ 2,815 o galão, pelo sistema de medidas usado nos EUA. Vinte e sete quilômetros para o norte, do outro lado da fronteira, em El Centro, Califórnia, os preços nas bombas subiram 5,3 centavos de dólar o galão, para uma média de US$ 2,718, às 17 horas de quarta-feira, pelo horário de Nova York, segundo a GasBuddy, uma empresa que monitora os preços.

"Está ocorrendo um intercâmbio comercial muito importante na região da fronteira", disse José Angel García, presidente da organização nacional de varejistas de petróleo do México, a Onexpo. "Caminhões com grandes tanques estão sendo usados para transportar combustível dos EUA para o México."

A Pemex disse em um tuíte que removeu os bloqueios ao centro de distribuição de combustível de Mexicali na manhã da quarta-feira. Até terça-feira, os tempos de espera na fronteira Calexico/Mexicali eram duas vezes mais longos do que o normal, segundo o Best Time to Cross the Border, um website criado por uma equipe da Universidade da Califórnia em San Diego, nos EUA.

A demanda do México poderá elevar ainda mais os preços da gasolina no sul da Califórnia. Na semana passada, perto da fronteira, os preços estavam 11,8 centavos de dólar mais altos, segundo o GasBuddy.

Os preços da gasolina são notoriamente voláteis e sensíveis a interrupções de oferta na Califórnia devido ao isolamento geográfico em relação aos sistemas de refino e de dutos de distribuição do restante do país, segundo Patrick DeHaan, analista sênior do GasBuddy.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos