Bolsas

Câmbio

Franqueados do McDonald's querem assento no conselho

Leslie Patton

(Bloomberg) -- Os franqueados do McDonald's, que têm tido uma relação tensa com a direção da gigante do fast-food nos últimos anos, estão buscando um lugar à mesa.

A Segal Marco Advisors, uma firma de consultoria financeira e de investimentos, está recomendando que os franqueados adquiram um novo tipo de ação preferencial que lhes permita eleger seu próprio membro no conselho. A proposta argumenta que as operadoras de restaurantes, que são donas de 85 por cento das lojas do McDonald's em todo o mundo, pagam royalties à companhia e criam valor para a rede.

"Os franqueados representam o grosso do interesse da companhia", disse Maureen O'Brien, vice-presidente e diretor de governança corporativa da Segal Marco. "Essa voz precisa ser ouvida no conselho."

A Segal Marco, que é propriedade da Segal Group, com sede em Nova York, financia um trust que possui 5.100 ações do McDonald's, disse O'Brien.

Ao longo dos anos, o McDonald's tem enfrentado batalhas com os franqueados a respeito de remodelações, custos de aluguel e alimentos com descontos acentuados. A melhora recente nas vendas, contudo, impulsionada pela oferta das opções de café da manhã durante todo o dia nos EUA, ajudou a melhorar essas relações. A rede afirmou em sua reunião anual com investidores, neste mês, que os franqueados americanos estão registrando fluxos de caixa e margens brutas históricos.

Não está claro quando a proposta da Segal Marco poderia ser apresentada aos acionistas -- se é que será. Em janeiro, o McDonald's enviou uma carta à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês) pedindo para omitir a proposta da Segal Marco de seus proxy materials deste ano. Não há decisão sobre o pedido, disse Terri Hickey, porta-voz do McDonald's.

"Cada acionista deve ter o direito de eleger todos os diretores", disse Hickey por e-mail. "Já há linhas de comunicação robustas entre o conselho, a diretoria e os franqueados, e todas as partes interessadas podem se comunicar diretamente com o conselho."

Desde que Steve Easterbrook assumiu como CEO, dois anos atrás, a companhia vendeu uma fatia maior de seus restaurantes para operadoras independentes -- uma jogada pensada para reduzir os riscos e garantir um fluxo estável de renda para os acionistas. O McDonald's disse que planeja chegar a 95 por cento de franqueados em todo o mundo.

Os proprietários independentes pagam o aluguel da companhia, juntamente com 4 por cento das receitas nos EUA como uma taxa de royalty. A empresa recebeu US$ 9,33 bilhões de seus franqueados no ano passado na forma de aluguel, royalties e comissões. O montante representou 38 por cento da receita total do McDonald's.

No ano passado, Andrew McKenna se aposentou como presidente do conselho do McDonald's após participar dele por 25 anos, sendo que mais de uma década como presidente. Enrique Hernández, CEO da empresa Inter-Con Security Systems, foi eleito para substituí-lo na presidência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos