Bolsas

Câmbio

Tesla volta a Wall Street para levar Model 3 ao mercado

Dana Hull e David Welch

(Bloomberg) -- Elon Musk precisa captar pelo menos mais US$ 1,15 bilhão para colocar seu carro mais acessível, o Model 3, no mercado. Seus apoiadores, juntamente com os investidores que acreditam na visão da Tesla, não poderiam estar mais felizes.

Depois que a empresa queimou dinheiro no fim do ano passado e Musk alertou Wall Street que os cofres estavam "perto do limite", a Tesla anunciou na quarta-feira que venderia novas ações e títulos conversíveis no momento em que se prepara para uma produção de grande volume e para a entrega de seu primeiro carro popular, no fim do ano.

Notícias a respeito de uma grande venda de ações normalmente derrubam o preço das ações de uma companhia porque a medida dilui o valor dos ativos dos investidores. Mas trata-se de Musk, cuja empresa do ramo de energia limpa chama a atenção dentro e fora de Wall Street, apesar das dificuldades enfrentadas pela empresa com sede em Palo Alto, Califórnia, para alcançar a rentabilidade.

Os recursos da oferta da Tesla de US$ 250 milhões em ações e US$ 750 milhões em dívidas conversíveis serão usados para reforçar o balanço da empresa e reduzir riscos associados ao lançamento do sedã Model 3, informou a Tesla em um comunicado. O Model 3, com início de produção previsto para julho, será vendido a partir de US$ 35.000 antes de incentivos e é menor que o Model S.

A oferta protegerá o balanço da mais jovem entre as fabricantes de automóveis de capital aberto dos EUA em um momento em que a empresa está ampliando os gastos devido ao lançamento do Model 3. A Tesla queimou US$ 970 milhões no quarto trimestre e calcula despesas de até US$ 2,5 bilhões durante o primeiro semestre de 2017. O tamanho do levantamento de capital é menor do que o estimado por muitos analistas.

Captação maior?

"Nós não nos surpreenderíamos se o aumento fosse maior, porque estimamos que a companhia poderia usar o capital, especialmente quando começar a produzir o Model 3 a todo vapor", disse Colin Rusch, analista da Oppenheimer & Co. "Ficaríamos encorajados ao ver a empresa captar um montante mais próximo de US$ 2 bilhões."

A oferta deverá ser precificada nesta quinta-feira, após o fechamento do mercado, segundo uma pessoa com conhecimento do processo.

O levantamento de capital não é fundamental para o lançamento do Model 3, mas provavelmente seria uma decisão inteligente, disse Musk na conferência de lucros de 22 de fevereiro. A Tesla registrou prejuízos em todos os trimestres desde sua criação, com exceção de dois.

"Segundo nosso plano financeiro, não seria preciso levantar capital para o Model 3, mas ficaríamos muito perto do limite", disse o CEO a analistas na conferência. Como "provavelmente [a decisão] não é a melhor para os acionistas", disse Musk, "é provável que seja conveniente levantar capital para reduzir o risco".

Musk, 45, é presidente do conselho e maior acionista da Tesla, com uma participação de 20,8 por cento. Ele participará do levantamento de capital adquirindo US$ 25 milhões em ações ordinárias, informou a companhia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos