Bolsas

Câmbio

Famílias e bens de consumo sul-coreanos estão cada vez menores

Jiyeun Lee

(Bloomberg) -- Com o envelhecimento populacional e a queda da taxa de natalidade, mais e mais sul-coreanos moram sozinhos ou com apenas uma outra pessoa.

Vinte e sete por cento dos lares eram formados por apenas uma pessoa em 2015, seguidos por famílias com dois integrantes. Trata-se de uma modificação rápida no período de cinco anos iniciado em 2010, quando as famílias de quatro ou mais pessoas eram o maior grupo.

E isso está levando as empresas a desenvolver novos produtos para atender às famílias menores, desde a entrega de alimentos já preparados a planos de investimento financeiro e eletrodomésticos menores.

"O recente aumento do número de lares com apenas uma pessoa foi provocado por jovens que optam por não se casar e por casais que não moram juntos porque trabalham em regiões distintas", disse Lee Ji-youn, diretora do escritório de estatística. "A seguir, o envelhecimento provocará o aumento ? idosos que moram sozinhos após a morte do cônjuge."

Startups gastronômicas estão capitalizando essa mudança demográfica. Companhias como Market Kurly e Baemin Fresh entregam de manhã cedo pequenas porções de ingredientes orgânicos ou de alimentos preparados.

"Nosso público-alvo ? solteiros e casais que trabalham ? gosta de nossa política de fazer as entregas durante a madrugada porque não tem ninguém em casa durante o dia para receber os produtos", disse Sung Ho-kyoung, porta-voz da Woowa Brothers, que dirige a Baemin Fresh.

O Ministério de Agricultura, Alimentação e Assuntos Rurais afirma que o aumento nesse mercado se deve ao incremento de lares com apenas uma pessoa ou de famílias com pais que trabalham fora.

O surgimento de lares ricos com apenas uma pessoa provocará uma expansão no mercado de apartamentos pequenos e de officetels de luxo, que são edifícios com unidades residenciais e comerciais, de acordo com um relatório da KB Financial Group. As companhias também vêm lançando móveis e eletrodomésticos, como panelas de arroz, máquinas de lavar e geladeiras, de menor porte.

As empresas financeiras também estão entrando no páreo. A KB lançou neste mês produtos voltados para lares com uma só pessoa, como cartões de crédito que oferecem benefícios em lojas de conveniência ou fundos de ações que investem em empresas que devem crescer com o aumento do número de pessoas que moram sozinhas. O Woori Bank vende cadernetas de poupança e cartões de crédito "tudo para mim", que oferecem serviços como diárias gratuitas de uma noite em resorts para solteiros que querem descansar.

E a vida solitária não é nem um pouco ruim. Cerca de 70 por cento das pessoas que moram sozinhas disseram que estão satisfeitas com sua situação atual, de acordo com uma pesquisa realizada pela KB com 1.500 solteiros de 20 a 49 anos em fevereiro. As respostas positivas foram especialmente altas entre as mulheres no começo da faixa dos 30 ? 82,5 por cento disseram que estavam satisfeitas. Cerca de metade delas disse que pretende continuar morando só.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos