Maior produtor de cacau do mundo registrará safra recorde

I. Almeida, Baudelaire Mieu e Olivier Monnier

(Bloomberg) -- Os enormes buracos das estradas que vão de Abidjan, a capital comercial, a Daloa, no coração da região produtora de cacau da Costa do Marfim, viraram poços profundos e lamacentos, cheios de água das fortes chuvas tropicais.

Os caminhoneiros que fazem a viagem tortuosa do litoral do Atlântico para o interior quente têm motivos para maldizer o clima úmido, mas para os produtores agrícolas do maior produtor de cacau do mundo as chuvas significam a perspectiva de mais uma safra recorde.

"Tivemos chuvas benéficas nesta temporada", disse Abdoulaye Baro, diretor da Coopago, a cooperativa de cacau na cidade de Goudougo. "Há muito cacau, neste ano a situação é muito boa."

A safra do país da África Ocidental chegará a 2 milhões de toneladas pela primeira vez na história, segundo uma pesquisa da Bloomberg com seis traders e exportadores, e ultrapassará o recorde anterior de 1,8 milhão de toneladas, de 2014-2015. Além de muita chuva, os ventos secos e prejudiciais do deserto do Saara foram relativamente fracos neste ano. E não é só o clima bom - os produtores responderam a anos de preços altos plantando árvores novas que agora estão começando a frutificar.

Os mais de 800.000 pequenos produtores de cacau do país terão mais grãos do que nunca para vender para os traders de commodities que abastecem o setor global de confeitaria, porém a safra recorde acarreta o risco de levar um mercado já fraco para uma depressão total. É um grande risco para a economia da Costa do Marfim, onde o cacau é o maior produto de exportação.

Superávit

A projeção é de que o superávit mundial deste ano ultrapasse 300.000 toneladas no mundo e uma sequência de calotes de compradores na Costa do Marfim já ajudou a fazer com que os futuros do cacau em Londres caíssem 30 por cento desde que atingiram o valor mais alto em seis anos em julho.

"O preço do cacau no mercado mundial está caindo desde o fim de 2016 devido a um grande excesso de oferta de grãos", disse Filip Buggenhout, diretor administrativo de cacau da Cargill Cocoa & Chocolate, unidade do maior trader agrícola do mundo. "O que se vê aqui é o mercado ditando preços, recentemente os produtores de cacau da Costa do Marfim receberam os maiores rendimentos da história recente."

Embora ainda seja muito cedo para projetar a produção da próxima temporada, os analistas acreditam que o mercado entrou em um período de superávits estruturais. A Tropical Research Services, que assessora vários hedge funds, prevê um excesso de oferta de mais de 300.000 toneladas para esta temporada e a seguinte.

Para a Costa do Marfim, as novas árvores ajudarão a manter firme a produção na ausência de eventos meteorológicos severos. Após quatro anos de preços em alta, muitos produtores também estão plantando novas variedades, que podem começar a produzir grãos dentro de 18 meses em vez dos cinco anos tradicionais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos