Bolsas

Câmbio

Sem House of Cards, Netflix troca ganho de usuários por lucro

Lucas Shaw

(Bloomberg) -- Por enquanto, os investidores do Netflix podem ter um crescimento rápido da base de assinantes ou um grande salto nos lucros -- mas não ambos.

A gigante de streaming de vídeos divulgou ganhos de usuários abaixo das estimativas para o primeiro trimestre porque não houve nenhum sucesso como "House of Cards" para atrair novos espectadores e manter os antigos. Por outro lado, a falta de produções com orçamentos polpudos aumentou o lucro líquido. No trimestre que vem, com o retorno de "House of Cards" e três filmes importantes com lançamentos programados, o lucro ficará abaixo das estimativas, mas os ganhos de clientes vão melhorar, informou o Netflix na segunda-feira.

O maior serviço pago de vídeos do mundo ganhou 4,95 milhões de novos clientes no trimestre passado, menos que os 5,49 milhões esperados pelos analistas. A empresa compensará parte disso no período atual, com uma projeção de crescimento dos espectadores superior às expectativas dos analistas.

"Não há nada que mude a tese", disse Anthony DiClemente, analista da Instinet que recomenda a compra das ações. "Se você tem ações do Netflix porque acredita que a empresa ganhará assinantes em todo o mundo, você manterá essas ações. Se você não possui ações porque pensa que o Netflix estava gastando muito para investir nesse referido crescimento, você ainda pensa da mesma forma."

O Netflix precisará somar milhões de assinantes a cada trimestre para ajudar a bancar os bilhões de dólares gastos pela companhia para produzir programas de TV e filmes ou para licenciar programas dos outros. A companhia, que comprometeu US$ 15,3 bilhões com filmes e programas de TV pelos próximos cinco anos, não deu nenhum indicativo de que planeja diminuir esses gastos e informou na segunda-feira que pretende captar dinheiro neste trimestre emitindo dívidas de longo prazo.

O Netflix lançou 17 especiais de stand-up, nove longas-metragens e várias séries originais para crianças e adultos, mas culpou a ausência de uma série -- "House of Cards" -- pelo crescimento menor que o projetado do número de espectadores.

A companhia poderá virar o jogo no segundo trimestre, que normalmente é um dos mais fracos. O Netflix, que tem sede em Los Gatos, Califórnia, reuniu uma série de lançamentos de destaque para os próximos meses, incluindo novas temporadas de "House of Cards", "Orange Is the New Black" e "Master of None".

A programação pesada do segundo trimestre vem com custos e ressalta um dilema. Devido a essas despesas, o Netflix informou que o lucro no período será de 15 centavos por ação, menos que a estimativa dos analistas de 23 centavos. A receita será de US$ 2,75 bilhões, contra projeções de US$ 2,76 bilhões de Wall Street. O primeiro trimestre, que teve menos lançamentos, foi o mais rentável da história da companhia e também a primeira vez que as operações internacionais geraram lucro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos